Escassez de terra leva usinas a ampliar irrigação em SP

Sem novas áreas disponíveis para o plantio, usinas da região nordeste de São Paulo estão ampliando o cultivo de cana-de-açúcar irrigada para aumentarem a produção nas áreas já plantadas e, conseqüentemente, na produtividade. Pelo menos seis grandes unidades sucroalcooleiras da região de Ribeirão Preto definiram contratos com a empresa israelense Netafim, que detém a tecnologia do sistema de irrigação por gotejamento subterrâneo. "Há hoje um entendimento real do setor que a cana irrigada aumenta a capacidade de produção de 30% a 100%", afirmou o coordenador de vendas da Netafim, Flávio Luis de Aguiar. Ele não revelou o período dos contratos e nem quais usinas serão atendidas, exceto a Companhia Energética Santa Elisa, que tem duas unidades em Sertãozinho (SP). "Nós já atendemos 25 usinas em São Paulo, entre elas grandes unidades, como a São Martinho, São Francisco e Vale do Rosário. Os novos contratos ainda estão em fase final de acertos e, por isso, ainda mantemos o sigilo", afirmou Aguiar. A Santa Elisa confirmou que definiu um contrato de dez anos com a Netafim para que seja irrigada uma área pequena, de 70 hectares, experimentalmente. Ainda de acordo com a usina, será avaliado principalmente se o aumento na produção corresponderá ao investimento feito, antes de ser definido um contrato maior para uma ampliação na área irrigada.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.