Esclareça suas dúvidas

Vendi ações na bolsa no valor de R$ 34 mil. A alienação até esse valor está isenta pelo artigo 38, II da Lei Nº 11.196, de 21/11/2005. Ao preencher o formulário do programa Ganhos de Capital ele calcula imposto a pagar. Só é considerado isento o limite de R$ 20 mil que se aplica tão somente às ações negociadas no mercado de balcão. Como proceder? José Reynaldo Gomes Veja questões já respondidas no portalResposta: Atualmente, o limite de venda de ações em bolsa de valores em que o lucro é isento é de R$ 20 mil por mês.Tenho 65 anos, sou aposentado e tenho mais dois rendimentos (salários), além da aposentadoria. Em julho de 2007 recebi FGTS. Tenho também fundos de investimentos. Como declarar? André PuchalskiResposta: A aposentadoria recebida a partir do mês que você completou 65 anos pode ser informada como Rendimentos Isentos e Não Tributáveis até o limite de R$ 1.313,69 por mês, inclusive para o 13º. Valores de aposentadoria que ultrapassarem R$ 1.313,69 por mês devem ser declarados como Rendimentos Tributáveis Recebidos de Pessoa Jurídica. A parte do 13º da aposentadoria que ultrapassar R$ 1.313,69 deve ser informada como Rendimentos Sujeitos à Tributação Exclusiva. Os salários são Rendimentos Tributáveis Recebidos de Pessoa Jurídica; informe também imposto retido, se for o caso, nessa ficha. O FGTS deve ser informado como Rendimento Isento e Não Tributável, linha 03. Os fundos de investimentos devem ser informados na declaração de Bens com o código respectivo e o saldo em 31/12/2006 e 31/12/2007 informado pela instituição financeira. Os rendimentos vão na ficha de Rendimentos Sujeitos à Tributação Exclusiva, conforme o informe bancário.Em 2006, comprei um veículo por meio do Consórcio Nacional GM. Na declaração daquele ano, lancei em Bens e Direitos o valor pago no ano (lance mais parcelas mensais). Em julho de 2007, esse veículo foi abalroado por outro, tendo perda total. O causador do acidente, dono do outro veículo, responsabilizou-se e acionou seu seguro para terceiros, que me indenizou pelo valor de mercado. Como o veículo estava alienado em favor do consórcio, optei por não quitá-lo, e sim efetuar a substituição do veículo. O novo veículo continuou alienado em favor do consórcio. Essa compra foi feita com a indenização. Onde levo lançar a indenização? Hamilton FoganholoResposta: Com relação ao veículo que sofreu perda total, na ficha de Bens e Direitos, informar na coluna Discriminação o fato e o valor recebido da seguradora. Deixar zerado o saldo em 31/12/2007. Em Rendimentos Isentos e Não Tributáveis, deve ser informada a parcela do valor recebido da seguradora que exceder o valor pelo qual o bem acidentado estava declarado. Quanto ao veículo adquirido, informar na coluna Discriminação o valor recebido pela seguradora. Na coluna Ano de 2007, incluir o valor total pago até 31/12/2007. As respostas são da advogada Patrícia Quintas, diretora de Assessoria Tributária da KPMG

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.