Escoamento de safra será um "caos", prevê Brasil Ferrovias

O escoamento da safra de grãos em 2004/05 será um "caos", disse hoje o diretor comercial da Brasil Ferrovias, José Maria Ribeiro de Almeida. Segundo ele, será necessário criatividade para reduzir os entraves logísticos. "Os exportadores terão que realizar uma profunda gestão de demanda porque a oferta de transporte de cargas está limitada e não dá para mudar este cenário em 2004", disse. Segundo ele, os vagões existentes já estão todos tomados até a safra 2005/06. "Se o setor começar a trabalhar agora, os resultados irão aparecer apenas na safra 2006/07", afirmou. O diretor disse que o problema também é balancear este escoamento de forma a não levar muito produto para uma região onde não dá para escoar. Estima-se que da safra de grãos de 56 milhões de toneladas esperada para este ano, 36 milhões de toneladas sejam exportadas. A Brasil Ferrovias acredita que 56% deste total é da região Sul e Centro-Oeste e serão escoados pelos portos de Paranaguá, São Francisco do Sul e Rio Grande. Outros 39% serão escoados pelo Centro-Oeste através dos portos de Santos, Vitória e Itacoatiara. No Norte/Nordeste, 5% da safra serão escoadas pelos portos de São Luis, Santarém e Ilhéus. "Enquanto portos como os de Itacoatiara e Vitória foram desenvolvidos pelo setor privado e foram estruturados para trabalhar com granéis, outros como os de Santos e Paranaguá possuem um desenho complexo, antigo, que torna difícil a construção de conexões ferroviárias", disse.

Agencia Estado,

23 Março 2004 | 16h59

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.