Felipe Rau/Estadão
Felipe Rau/Estadão

Escritório do Estado de SP em Xangai analisa 12 projetos para o agronegócio paulista, diz Doria

Durante participação no Summit do Agronegócio Brasil, governador afirmou que estão previstos investimentos rodovias, hidrovia e na malha ferroviária

Isadora Duarte, Tânia Rabello e Vinicius Galera, especial para o Estado, O Estado de S.Paulo

13 de novembro de 2019 | 11h16

O governador de São Paulo, João Doria, disse que o agronegócio é “prioritário” em sua gestão. “Oferecemos apoio integral aos projetos de pesquisa e ciência e, como membro do setor privado, acredito em ciência e tecnologia”, disse o governador nesta quarta-feira, 14, no Summit Agronegócio Brasil 2019, evento promovido pelo Estado com patrocínio da Corteva, em São Paulo. 

Ele citou, em sua apresentação, uma recente iniciativa que também contempla o agronegócio paulista: um escritório de investimento aberto em Xangai, China, totalmente financiado pela iniciativa privada, mas com apoio do governo estadual. “São empresas chinesas e brasileiras que financiam a iniciativa: chineses que têm interesse no Brasil e brasileiros com interesse na China.” Ele lembrou que o fato de ser a iniciativa privada a financiar o escritório ajuda a blindá-lo dos “humores políticos”. “Isso traz perenização à iniciativa”, disse. 

Segundo o governador, esse escritório está analisando 36 projetos de desenvolvimento para São Paulo, sendo 12 ligados ao setor agropecuário. Ainda como fruto de sua missão oficial à China, em agosto, Doria disse que o governo estadual captou US$ 20,48 bilhões de investimentos para o Estado, “além dos projetos do escritório de Xangai”. “Apenas dois grandes investimentos, provenientes do China Investment Bank, que é o BNDES deles, e o New China Investment Bank, representam US$ 20 bilhões para financiar programas de desestatização em São Paulo.”

Dentre esses programas e que beneficiam diretamente o setor agropecuário paulista, Doria citou investimentos em rodovias, na Hidrovia Tietê-Paraná, uma nova malha ferroviária no Estado e 28 aeroportos regionais, além de saneamento básico e tecnologia. “Tudo isso num prazo de quatro anos, tudo financiado pela China.” Ele citou também mais US$ 4,8 bilhões em investimentos nos setores automobilístico, da indústria de transformação, no agronegócio, em saúde, tecnologia e educação.

Vale do Silício

Uma delegação do governo de São Paulo vai para o Vale do Silício, na Califórnia, na próxima semana, visitar empresas como Google, Facebook e Microsoft, informou João Doria. "Essas empresas são exemplos de tecnologia e inovação. Nosso grande objetivo é trazer essas inovações para o Brasil e especificamente para São Paulo para todos os setores da economia, entre eles o agro" disse o governador. "Hoje a renovação da tecnologia é feita mensalmente, é muito rápido. Queremos trazer oportunidades com essas empresas que estão na vanguarda da tecnologia."

A viagem para os Estados Unidos será a sexta realizada pelo governo Doria neste ano para aprofundar as relações do Estado com parceiros estrangeiros e atrair investimentos. Já foram feitas missões para Inglaterra, Estados Unidos, Alemanha, China e Japão. “Nessas missões, nós tivemos contato com o que há de melhor na tecnologia a serviço do agronegócio. Queremos que essas informações possam ser compartilhadas com os agentes que lideram e atuam no setor no Brasil.” 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.