Esforço fiscal de 2009 ainda será de 4,3% do PIB, diz Mantega

'Teremos um superávit de 3,8%. Só que tem mais 0,5% do Fundo Soberano', explicou o ministro da Fazenda

Adriana Fernandes, da Agência Estado,

31 Outubro 2008 | 16h53

O ministro da Fazenda, Guido Mantega, afirmou, por meio de sua assessoria de imprensa, que o esforço fiscal para 2009 continua sendo de 4,3% do Produto Interno Bruto (PIB). Segundo o ministro, esse esforço representa um superávit primário das contas do setor público de 3,8% do PIB mais uma reserva de 0,5% do Fundo Soberano do Brasil.   Veja também: Brasil economiza R$ 10 bi em setembro e tem superávit nominal   "Não há mudança em relação à meta de superávit primário. O ministro Paulo Bernardo (do Planejamento) está certo. Teremos um superávit de 3,8%. Só que tem mais 0,5% do Fundo Soberano", disse o ministro.  

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.