Esforço fiscal do setor público até outubro é recorde

O esforço fiscal do setor público consolidado (Tesouro Nacional, Banco Central, INSS, Estados, municípios e empresas estatais) nos dez primeiros meses do ano foi o maior da série histórica do BC iniciada em 1991. Conforme dados divulgados hoje pelo chefe do Departamento Econômico (Depec) do Banco Central, Altamir Lopes, o superávit primário de janeiro a outubro somou R$ 106,570 bilhões. O superávit primário, que é a economia que o governo faz para o pagamento da dívida pública, não leva em conta as despesas com juros.O valor é o novo recorde para o período de dez meses desde o início da série e 17,1% maior que o registrado em igual período do ano passado. Apesar do esforço fiscal recorde e da interrupção no corte da taxa Selic, o gasto com juros continua em alta. No mesmo período, atingiu R$ 135,238 bilhões. O valor também é o novo recorde histórico para o período de dez meses e 0,24% maior que o registrado em igual período de 2006.Com o pagamento desses juros, o déficit nominal do período atingiu R$ 28,668 bilhões. O resultado é o mais baixo desde 2004, quando o resultado foi de R$ 28,398 bilhões.

FERNANDO NAKAGAWA E FABIO GRANER, Agencia Estado

29 de novembro de 2007 | 12h36

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.