Espanha criará empregos no 2º semestre, diz Zapatero

A Espanha pode criar novos empregos a partir do segundo semestre deste ano, depois de perder cerca de 2 milhões de vagas nos últimos três anos, afirmou o primeiro-ministro José Luís Rodriguez Zapatero em entrevista a uma rede de televisão espanhola. O governo permanecerá concentrado na implementação das reformas econômicas anunciadas recentemente, incluindo reformas no setor financeiro, disse Zapatero.

DANIELLE CHAVES, Agencia Estado

31 de janeiro de 2011 | 10h44

O primeiro-ministro declarou ainda que os bancos precisam buscar financiamento privado e reduzir o tamanho de suas operações, para compensar uma diminuição no mercado bancário espanhol. Zapatero disse ainda que a União Europeia está se movendo na direção de políticas fiscais harmonizadas, o que pode dar suporte ao euro.

Na semana passada, o Instituto Nacional de Estatísticas (INE) espanhol informou que o desemprego no país no quarto trimestre do ano passado subiu para perto de 5 milhões, ou 20,3% da força de trabalho. Este é o maior nível desde 1997. Mais de 138 mil empregos foram eliminados no trimestre, mais que nos três trimestres anteriores somados. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
criseEspanhaempregoscriaçãoZapatero

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.