Renda extra

Fabrizio Gueratto: 8 maneiras de ganhar até R$ 4 mil por mês

Espanha e Itália devem voltar a atrair private equity

A Espanha e a Itália, dois países que estavam esquecidos pela indústria de private equity, podem em breve se tornar um parque de diversões para empresas de aquisição europeias e americanas.

Agencia Estado

24 de novembro de 2013 | 19h33

Pelo menos 15 grupos de private equity centrados nesses países planejam levantar fundos com um valor combinado de mais de 4 bilhões de euros (US$ 5,4 bilhões), de acordo com fontes familiarizadas com o assunto e segundo a empresa de pesquisa Preqin. Esse montante é muito maior do que o 1 bilhão de euros levantado desde o início de 2010.

Os mercados espanhóis e italianos fizeram sucesso no mercado de private equity entre 2005 e 2008, mas a atividade perdeu fôlego durante a crise financeira que atingiu a zona do euro.

De acordo com a Dealogic (empresa fornecedora de serviços para bancos de investimento), entre janeiro de 2010 e 13 de novembro de 2013 foram registradas 294 aquisições na Itália e Espanha no valor total de US$ 34,9 bilhões, uma queda de 45% em número de transações e um recuo de 46% em valor, na comparação com o período do "boom" desse tipo de operação, entre janeiro de 2005 e dezembro de 2008.

A italiana Clessidra SGR S.p.A, a maior empresa de aquisição do sul da Europa quando se considera os recursos captados nos últimos 10 anos, planeja voltar ao mercado em 2014, disseram duas pessoas envolvidas com o negócio.

Já o segundo maior player da região, a N +1 Mercapital SL, com sede em Madri, planeja comercializar um fundo de cerca de 500 milhões de euros no próximo ano, com foco em empresas espanholas de médio porte que podem expandir no exterior, de acordo com fontes cientes dos planos da empresa.

As duas companhias se unem a outras dez firmas com atuação no sul da Europa que estão planejando ações ou já começaram a captar recursos, de acordo com a Preqin. Fonte: Dow Jones Newswires.

Tudo o que sabemos sobre:
PRIVATE EQUITYESPANHAITÁLIA

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.