finanças

E-Investidor: "Você não pode ser refém do seu salário, emprego ou empresa", diz Carol Paiffer

Espanha: ministro nega intenção de criar 'banco ruim'

O governo espanhol não tem planos de criar um meio de ajudar os bancos do país a se desfazer de ativos depreciados, afirmou neste sábado o ministro de Finanças da Espanha, Luis de Guindos. "O governo não vai criar nada, nem um banco ruim nem um banco bom", ele disse, negando rumores de que o governo possa desenvolver um "banco ruim" estatal, para comprar ativos depreciados das instituições bancárias.

AE, Agencia Estado

21 de abril de 2012 | 18h04

Autoridades do banco central do país afirmaram recentemente que estão alertando os bancos locais para que removam ativos depreciados de seus balanços, retomando a especulação de que autoridades espanholas pretendiam estabelecer um mecanismo para assumir o gerenciamento desses ativos.

O ministro reiterou que a estratégia do governo para limpar o sistema bancário se baseia em forçar os bancos a levantar recursos para cobrir os prejuízos obtidos com ativos depreciados. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
espanhasistemabancário

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.