Espanha pode intervir em algumas regiões do país neste ano

Regiões terão um prazo de duas semanas para pedirem empréstimos para pagar os fornecedores 

Clarissa Mangueira, da Agência Estado,

16 de abril de 2012 | 10h42

MADRI - O governo da Espanha poderá intervir em pelo menos uma das regiões do país que enfrentam dificuldades financeiras neste ano, devido a falta de acesso aos mercado e ao critério rigoroso de redução de orçamento, afirmou um fonte do governo.

"Da maneira que as coisas estão indo, as regiões pedirão a intervenção", disse a fonte. O governo da Espanha estabeleceu um prazo final de duas semanas para as regiões pedirem empréstimos governamentais para pagar os fornecedores. Até maio, Madri poderá saber quais as regiões podem pedir a intervenção das autoridades do governo central, acrescentou a fonte.

A Andaluzia, a região mais populosa e uma das mais pobres do país, já apresentou um esboço de orçamento para este ano que foi rejeitado pelo Ministério do Orçamento, após não cumprir os critérios de redução do déficit, afirmou a fonte.

Barroso diz confiar em superação dos desafios

A Comissão Europeia está totalmente confiante de que o governo da Espanha tomará as medidas necessárias para superar os desafios econômicos, afirmou o presidente da Comissão, José Manuel Barroso, em uma conferência em Bruxelas, Bélgica, junto com o secretário-geral das Nações Unidas, Ban Ki-Moon.

Barroso acrescentou que a Comissão está trabalhando "ativamente e muito perto" do governo espanhol. Apesar de uma promessa feita, a Comissão ainda não detalhou sua avaliação sobre o orçamento da Espanha para este ano. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
espanhacriseeuropa

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.