Espanha usará recapitalização direta dos bancos quando ESM permitir

O governo espanhol vai inicialmente pegar dinheiro emprestado da zona do euro para recapitalizar seus bancos, mas o empréstimo será trocado para uma recapitalização direta dos bancos quando o fundo de resgate permanente ESM adquirir essa competência, afirmou uma autoridade da zona do euro.

Reuters

29 de junho de 2012 | 07h46

O fundo permanente de resgate, o Mecanismo Europeu de Estabilização Financeira (ESM), poderá recapitalizar os bancos diretamente uma vez que o Banco Central Europeu assumir o papel de supervisor bancário da zona do euro, concordaram líderes da zona do euro nesta sexta-feira.

"Quatorze dos 17 bancos centrais da zona do euro já têm poderes de supervisão, então isso pode acontecer rapidamente -até o final do ano ou início de 2013", disse a fonte.

Quando o ESM puder recapitalizar bancos espanhóis diretamente, fará isso, permitindo que os bancos reembolsem o governo espanhol pelos empréstimos de recapitalização que pegará agora.

"Isso significará que o impacto sobre a dívida pública espanhola será eliminado", disse a fonte da zona do euro.

Ministros da zona do euro disponibilizaram até 100 bilhões de euros em empréstimo à Espanha para a recapitalização de três bancos. Se Madri usar todo esse dinheiro, sua dívida subirá cerca de 10 pontos percentuais, acima de 90 por cento do Produto Interno Bruto (PIB).

(Reportagem de Jan Strupczewski)

Tudo o que sabemos sobre:
MACROESPANHARECAPITALIZACAO*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.