Espanha vai aumentar benefícios a desempregados

Seguro-desemprego para quem está há muito tempo sem trabalho sobe para 450 euros; medida é uma tentativa de diminuir problemas de famílias com integrantes sem emprego  

Priscila Arone, da Agência Estado,

21 de agosto de 2012 | 12h47

NOVA YORK - O governo da Espanha disse nesta terça-feira que vai aumentar o valor dos benefícios para alguns desempregados que estão há muito tempo fora do mercado de trabalho. A medida é uma tentativa de diminuir os problemas enfrentados pelo crescente número de famílias nas quais todos ou a maioria dos integrantes está sem emprego.

O governo informou que vai elevar o valor do seguro-desemprego para 450 euros (US$ 559) por meio do "plano PREPARA", para um número limitado de pessoas que estão desempregadas há muito tempo, que já não podem mais receber outros benefícios para desempregados e têm pelo menos dois dependentes da família, além do esposo ou parceiro.

O plano PREPARA concedia 400 euros por até seis meses para desempregados há muito tempo que não recebem outros benefícios do Estado, cuja renda doméstica tenha caído abaixo de um determinado nível e que também concordassem em participar de cursos de treinamento e de um programa de busca de emprego. Porém, as pessoas que receberam o benefício anteriormente não podem recebê-lo novamente.

Na semana passada, o primeiro-ministro Mariano Rajoy disse que seu governo renovaria o programa, que começou no início de 2011 e teve um custo de mais de 1 trilhão de euros até maio de 2012, segundo dados do governo publicados na semana passada. Em junho deste ano, 211.461 pessoas ainda recebiam o benefício e mais de 500 mil participaram do programa durante algum período de suas vidas.

O aumento do benefício para aqueles que se encaixam nos critérios foi anunciado após a população reclamar do fato de o programa terminar em 15 de agosto. Um dia antes, Rajoy falou que ele seria estendido.

No final de julho, o escritório de estatísticas da Espanha informou que o número de famílias com todos os trabalhadores desempregados havia chegado a mais de 1,7 milhão e que cerca de metade dos 5,7 milhões de espanhóis desempregados havia procurado emprego no último ano. A taxa de desemprego na Espanha chegou ao recorde de 24,6% no segundo trimestre do ano. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
Espanhadesempregobenefícios

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.