Especialista diz que usuário precisa avaliar o risco

Para Fernando Galdi, professor da Fipecafi, a comunidade de empréstimos sem intermediação bancária é uma alternativa interessante, mas que deve ser usada com cautela. "Não existe maior retorno, sem risco'', diz. O principal risco da operação é o de inadimplência. Uma forma de se expor menor a esse risco é diversificar os empréstimos. "Em vez de um investimento de R$ 1000, é recomendável fazer dez de R$ 100", explica. Atualmente, o ticket médio de cada investidor na Fairplace é de R$ 408.

, O Estado de S.Paulo

31 de maio de 2010 | 00h00

Outro cuidado que deve ser tomado é quanto à cobrança. Como qualquer contrato, a dívida pode ser cobrada judicialmente caso não seja paga. Mas, segundo o professor, os custos deste processo recaem sobre o dinheiro que será recebido pelo investidor. "Esses sites só fazem a intermediação, mas não assumem os riscos como as instituições financeiras", explica Galdi. / Y.F.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.