Especulação não força alta do petróleo sozinha, diz Paulson

Secretário do Tesouro dos EUA vai contra congressistas e reforça visão de que oferta e demanda afetam preços

Suzi Katzumata, da Agência Estado,

24 de junho de 2008 | 20h00

O secretário do Tesouro dos Estados Unidos, Henry Paulson, disse que não vê evidências de que os especuladores sejam a principal força por trás da alta dos preços do petróleo, uma avaliação que o coloca em conflito com os congressistas que acreditam que novos limites nas transações podem aliviar os preços de energia.  Veja também:Entenda os efeitos da crise nos Estados Unidos   "Eu não fui, e nem tenho sido capaz, de encontrar evidências de que os especuladores financeiros ou investidores tenham orientado isto", disse Paulson a um pequeno grupo de repórteres durante as sessões de um encontro de ministros de Finanças das Américas e do Caribe.  A administração do presidente George W. Bush acredita que questões de oferta e demanda, ao invés de especuladores nos mercados financeiros, sejam a principal causa para os preços recordes do petróleo. Contudo, os especuladores se tornaram um alvo do Congresso, onde os legisladores estão estudando restrições as operações de swap e bilaterais nos mercados futuros de energia.  Paulson admitiu que a especulação é uma das muitas variáveis que contribuem para os movimentos do mercado, mas disse que de modo geral podem ajudar a proporcionar eficiência nos mercados. "Eu não disse que não era um fator", disse Paulson. "Eu disse que não sei que isto seja um fator principal e eu não acho que seja o indutor (da alta dos preços)", acrescentou.  Ele repetiu os pedidos da Casa Branca por mais desenvolvimento de fontes alternativas de energia, investimentos em produção de energia, conservação e eficiência energética.

Tudo o que sabemos sobre:
Crise nos EUAHenry PaulsonPetróleo

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.