Esperamos que economia volte a crescer no segundo semestre, diz Barbosa

Governo espera uma retomada do crescimento a partir do final deste ano, com mais ênfase em 2016; ministro também afirmou que País precisa de ganhos de produtividade

FRANCISCO CARLOS DE ASSIS E ÁLVARO CAMPOS, O Estado de S. Paulo

01 de junho de 2015 | 11h30

O ministro do Planejamento, Nelson Barbosa, voltou a afirmar nesta segunda-feira, 1, que o governo espera uma retomada do crescimento a partir do final deste ano, com mais ênfase em 2016. Durante seminário de política fiscal na Escola de Economia de São Paulo da Fundação Getulio Vargas (FGV/EESP), ele também comentou que a inflação ficará um pouco mais alta em 2015, mas cairá no ano que vem.

"Estamos em um momento em que medidas adicionais de estímulo não teriam efeito expansionista. Precisamos restabelecer o equilíbrio fiscal e combater a inflação para recuperar o crescimento econômico, por mais paradoxal que pareça", afirmou. Mesmo assim, o ministro deixou claro que a estratégia do governo não se restringe a isso. "É uma condição essencial, mas não suficiente" para o crescimento, explicou, citando ações para estimular investimentos e ganhos de produtividade.

Barbosa lembrou que é possível atuar sobre a produtividade tanto pelo âmbito da oferta como pela ótica da demanda. "Se você aumenta investimento, isso também eleva a demanda". Ele afirmou que a taxa de investimento deve cair abaixo de 20% do Produto Interno Bruto (PIB) este ano, mas voltará a superar essa marca em 2017 e possivelmente até antes. "Com o plano de concessões a recuperação do investimento pode ser um pouco mais rápida".

Tudo o que sabemos sobre:
ajuste fiscalFGVNelson Barbosa

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.