"Espetáculo do crescimento" não tem data marcada, diz Palocci

O ministro da Fazenda, Antônio Palocci, disse hoje que o "espetáculo do crescimento", prometido pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva, não tem data marcada para acontecer. "Crescimento não tem ato inaugural, data marcada. Ele é marcado por um início de processo em que as condições fundamentais para impedir a explosão inflacionária podem se colocar de maneira mais amena, hoje. O Copom no mês passado começou a reduzir juros. Se a inflação continuar caindo esse movimento pode continuar", disse o ministro, na entrevista ao programa Bom Dia Brasil, da TV Globo. Palocci admite que este foi um ano de dificuldades e de ajustes, mas garantiu que 2003 terminará melhor do que começou. "Não tenha dúvida disso. Nós já estamos, do ponto de vista macroeconômico, da inflação, do risco País, melhor do que começamos. Nós vamos terminar o ano com crescimento econômico". InvestimentosPalocci disse também que o governo Lula tem, desde antes da posse, uma clara posição de garantia dos contratos. "Não se pode esperar investimentos no País, se o governo não deixar claro que os contratos estabelecidos não serão preservados", observou o ministro, citando como exemplo os contratos de telefonia e de energia, sem entrar no mérito das recentes discussões em torno do reajuste das tarifas de telefonia fixa, no Ministério das Comunicações.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.