"Espetáculo do crescimento" será progressivo, diz secretário

O secretário de Assuntos Internacionais do Ministério da Fazenda, Otaviano Canuto, disse que o "espetáculo do crescimento" prometido pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva será progressivo. "Como todo espetáculo, as coisas ocorrem progressivamente e vão ficando cada vez melhor", afirmou Canuto, traçando um cenário otimista para a economia brasileira no futuro. Sobre a decisão de ontem do Copom de baixar a taxa básica de juro em 1,5 ponto porcentual, Canuto demonstrou confiança na perspectiva de novos cortes de juro, reforçando um quadro mais positivo para a economia. Segundo Canuto, "diante do grande ordenamento vivido atualmente pela economia brasileira e a queda da inflação" a perspectiva é de continuidade da redução da taxa Selic. O secretário salientou também que essa perspectiva de melhora da economia brasileira abre espaço para uma retomada de investimentos diretos estrangeiros nos País. Segundo ele, as empresas sempre estão olhando para o futuro no longo prazo e tomam decisões baseadas nessas expectativas futuras. "E as expectativa não param de melhorar", afirmou. Questionado sobre os anúncios recentes de demissões nas montadoras, Canuto disse que trata-se de um problema estrutural e global do setor automobilístico e que os cortes no País não refletem diretamente a conjuntura brasileira. Canuto participa com a ministra das Minas e Energia, Dilma Rousseff, de um seminário na capital britânica, promovido pelo governo da Arábia Saudita. Ambos retornam hoje à noite ao Brasil.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.