Esso culpa logística por falta de gasolina na Argentina

Os postos de combustíveis da Argentina continuam enfrentando escassez de produtos, situação que já dura quase uma semana e que provocou inspeção nas petrolíferas, entre elas a Petrobras Energia, subsidiária da Petrobras. O diretor de Assuntos Públicos da Esso na Argentina, Tomás Hess, admitiu hoje haver problemas com o abastecimento de combustíveis, mas negou falta de estoque ou manobra para aumentar os preços dos combustíveis, mas sugeriu um reajuste. Ele afirmou que "não há quantidade suficiente de caminhões" para fazer a distribuição normal nos postos.Em entrevista à rádio Del Plata, Hess afirmou que do ponto de vista de abastecimento e de estoque, "a companhia está muito bem" e que a refinaria trabalha no máximo de sua capacidade. Ele insistiu que "na refinaria há quantidade suficiente de gasolina e de óleo diesel". Hess argumentou que nos últimos dias, especialmente no fim de semana, a escassez foi provocada por problemas de logística. Esse foi o mesmo argumento usado pela Petrobras Energia, há dois dias, para explicar a falta de combustíveis em seus postos, que passaram por fiscalização do governo.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.