finanças

E-Investidor: "Você não pode ser refém do seu salário, emprego ou empresa", diz Carol Paiffer

Estabilidade permite investimentos, diz Meirelles

O presidente do Banco Central (BC), Henrique Meirelles, afirmou hoje que o momento de estabilidade da economia brasileira abre espaço para investimentos de longo prazo. No 5º Congresso Paulista de Jovens Empreendedores, Meirelles afirmou que este é o momento certo de os investidores pensarem nos desafios do futuro e não apenas discutirem problemas de curto prazo. "Hoje o cenário é promissor para retomar os investimentos de longo prazo, o que atrai os investidores", afirmou, citando as oportunidades de investimento na área de infraestrutura.

LUCINDA PINTO, Agencia Estado

16 de novembro de 2009 | 11h17

Meirelles disse que, atualmente, os investidores têm segurança para planejar. Ele também citou a condição diferenciada que o Brasil tem em relação a outras economias emergentes, já que o País conta com potencial de crescimento econômico e tem segurança jurídica e institucional. "Agora, o desafio é administrar o sucesso, o que também gera custos", afirmou.

Em seu discurso, Meirelles reafirmou o fato de o Brasil ter reforçado seus fundamentos mesmo em meio à crise internacional. Ele voltou a destacar o avanço do crédito e lembrou que, em setembro de 2009, o volume de empréstimos no Brasil somava 45,7% do Produto Interno Bruto (PIB). O avanço, segundo ele, também é fruto da maior previsibilidade da economia. O presidente do BC afirmou ainda que as perspectivas são de continuidade de crescimento no volume do crédito, com ampliação dos prazos e redução dos prêmios de risco e das taxas de juros.

Meirelles citou ainda o fato de as reservas terem crescido para níveis superiores aos do período pré-crise. Segundo os dados mais recentes, as reservas somam pouco mais de US$ 234 bilhões atualmente. O presidente do BC destacou o controle da inflação, que segue em linha com as metas, e a situação fiscal, que está sob controle.

Para Meirelles, outro ponto que dá vigor à economia e reforça as perspectivas de crescimento do consumo é o desempenho da massa salarial, que cresceu 2,5% em setembro de 2009 ante setembro de 2008. Meirelles comentou ainda que a produção industrial vem crescendo, respaldada pelo avanço da confiança do setor. Segundo ele, "o crescimento da confiança da indústria mostra que a capacidade de recuperação é sólida". O presidente do BC também observou que a confiança do consumidor está melhorando e já atinge níveis semelhantes aos de 2007, o que é "impressionante".

O presidente do BC afirmou que o fato de o Brasil ter saído mais forte da crise é menos importante que compreender como isso foi possível. De acordo com Meirelles, quando se entende o que mudou no País, os problemas podem ser evitados no futuro. Meirelles afirmou que problemas graves como recessão são frutos de erros de política econômica. Ele citou a crise nos Estados Unidos que, segundo ele, foi resultado da avaliação de que o país poderia manter o crescimento baseado no endividamento. "Nossa experiência passada mostra que o endividamento tem limites. Por isso, o Brasil entrou na crise com fundamentos sólidos e pudemos fazer ações anticíclicas."

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.