Estação de furacões eleva preço do suco

A especulação em torno da estação de furacões na região do Atlântico Norte fez disparar os preços do suco de laranja na Bolsa de Nova York. Embora nenhuma tormenta ameace os pomares da Flórida, maior produtor dos Estados Unidos, o contrato novembro atingiu seu maior preço em três anos ao fechar em 159,70 centavos de dólar por libra-peso, com alta de 6,18%. Este é o período do ano em que mais tempestades se formam no oceano, o que estimula as apostas dos investidores no mercado futuro.

Análise: Ana Conceição, O Estado de S.Paulo

22 de setembro de 2010 | 00h00

De acordo com o Centro Nacional de Furacões (NHC, na sigla em inglês) dos EUA, a tempestade tropical Lisa se formou durante a madrugada de ontem ao longo da costa da África. Um outro sistema apareceu ao norte da Venezuela e tem 20% de chances de se transformar em depressão tropical nas próximas 24 horas.

Nos mercados de café e açúcar em Nova York, as chuvas que caíram em algumas áreas produtoras do Brasil incentivaram realizações de lucro. A cotação do açúcar para outubro cedeu 2%, para 23,79 centavos de dólar por libra peso. Apesar do recuo, o produto registra valorização de 20% apenas em setembro por causa da demanda forte. A China, por exemplo, informou ontem ter importado seis vezes mais açúcar em agosto. O preço do café fechou em alta, mas longe dos maiores níveis alcançados no dia. O contrato dezembro subiu 0,52%, para 182,90 centavos por libra-peso.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.