Estadão
Programa tem como meta aumentar o acesso à informação de qualidade. Estadão

Estadão Incentiva dá assinatura para estudantes e acesso grátis para notícias

Programa quer ajudar alunos de cursos superiores a buscar informação de qualidade e a criar hábito de leitura; projeto venceu desafio de inovação do Google

Redação, O Estado de S.Paulo

01 de julho de 2020 | 05h00

O Estadão lança nesta quarta-feira, 1º, um programa para aproximar jovens e estudantes do jornal. Chamada de Estadão Incentiva, a plataforma dará acesso digital gratuito para estudantes de graduação, pós-graduação, mestrado e doutorado, com o objetivo de fazer esse público criar o hábito de leitura de notícias e ajudá-lo na tomada de decisões com base em informação de qualidade. Ao se cadastrar com seus dados educacionais, o usuário vai receber uma assinatura digital do Estadão, que poderá ser renovada continuamente por até um ano. 

“Com este programa, nossa meta é aumentar o acesso à informação de qualidade e ampliar o público do Estadão, um jornal que sempre se pautou pela inovação”, afirma João Caminoto, diretor de jornalismo do Grupo Estado. “É ainda uma forma de mostrar que desinformação, um dos maiores problemas atuais, se combate com bom jornalismo. Investir nos jovens é também investir no futuro do Brasil.”

Videogame

Toda a atividade do usuário no Estadão Incentiva acontecerá como se o leitor estivesse num jogo: a cada texto lido, comentado ou compartilhado, ele somará pontos por seu engajamento. Assistir a vídeos e responder a quizzes sobre os principais acontecimentos da semana também contarão. 

“Acreditamos que a gamificação vai ao encontro de uma mecânica atraente para o público jovem, pois está presente no dia a dia das plataformas digitais”, afirma Leonardo Contrucci, diretor executivo de mercado leitor e estratégias digitais do Grupo Estado. “No mundo da inovação, é nosso papel criar soluções que atendam a todos os leitores.”

Ao cumprir uma quantidade determinada de tarefas, o jogador conseguirá renovar a assinatura por um mês, “passando de fase” – caso contrário, o usuário “perde uma vida”. Todo leitor começa o jogo com três vidas. Além disso, ao fazer diversas tarefas repetidas vezes, será possível também somar pontos em categorias que renderão medalhas ao jogador. Haverá ainda um ranking para mostrar quem são os leitores que mais estão interagindo com o conteúdo do jornal. 

Os pontos também serão contados para que o usuário suba de níveis. Conforme o progresso, haverá acesso a conteúdos especiais criados pela redação do Estadão e descontos para realizar uma assinatura após o período máximo de um ano se encerrar. 

Inovador

Surgido em um treinamento para a redação do jornal, o Estadão Incentiva tem o apoio do Google. Em 2019, o projeto, ainda chamado de Gamificação para a Educação, venceu a 1ª edição do Desafio de Inovação da Google News Initiative na América Latina.

Ao todo, o desafio teve 303 inscrições de toda a América Latina, que concorreram a um valor total de R$ 16,5 milhões em financiamento. Destes, 30 projetos foram escolhidos. 

“O Estadão sempre se coloca numa posição de vanguarda para tocar projetos de tecnologia. Não foi uma surpresa para nós ter um projeto do jornal no Desafio”, destaca Marco Túlio Pires, coordenador do Google News Lab na América Latina. 

Para o executivo, um destaque do Incentiva é a busca de leitores em uma faixa etária específica. “Não é um desenvolvimento feito por palpite, mas sim guiado por dados. É um modelo que coloca o leitor no centro, buscando criar uma relação com ele, mostrando como o jornalismo se presta para o interesse público, à cobrança das autoridades, à representação dos leitores na esfera pública”, afirma Pires. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Programa nasceu durante treinamento para jornalistas do 'Estadão'

Proposta era resolver problema de usuário que se interessava por notícia, mas não tinha como arcar com assinatura

Redação, O Estado de S. Paulo

01 de julho de 2020 | 05h00

Além de ser um projeto inovador por si só, o programa Estadão Incentiva teve também uma origem inovadora: ele nasceu a partir de uma ideia em um treinamento de design thinking dado para os editores do jornal. Realizado há cerca de um ano, o curso buscava mostrar à redação como criar produtos e serviços digitais, dentro da lógica de transformação digital pela qual o Estadão vem passando nos últimos anos. 

“O treinamento tinha o objetivo de fazer os jornalistas do Estadão entenderem como é um processo de prototipação, construindo um novo produto ou serviço a partir do interesse de um usuário”, explica a jornalista e consultora em inovação estratégica Adriana Garcia, que liderou a sessão. “É uma forma de testar ideias de forma rápida e barata, em uma metodologia que é muito usada por startups.” 

O usuário, no caso, era um jovem que se interessava muito por notícias, mas não tinha condições financeiras para arcar com a assinatura de um jornal. “Ele ficava pulando entre um veículo e outro para conseguir se informar. Ele tinha uma necessidade urgente disso”, lembra Adriana. “Era um super usuário e, a partir dele, o Estadão percebeu que tinha a possibilidade de atender uma série de outras pessoas que poderiam ter o mesmo problema.” 

A partir do protótipo, desenvolvido em um dia por uma das equipes que estavam no treinamento de design thinking, o projeto evoluiu e foi inscrito no Desafio de Inovação do Google. Com o apoio da empresa, tornou-se um dos grandes investimentos do Estadão em 2020, envolvendo o trabalho de equipes de diversas áreas do jornal. 

O desenvolvimento está longe de seu fim: a partir das ideias e informações dos novos usuários, o Estadão Incentiva seguirá sendo aprimorado ao longo dos próximos meses, como cabe a um projeto inovador e digital. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Em dois dias, programa do 'Estadão' que dá assinatura a universitário tem 10 mil inscritos

Lançado na quarta-feira, Estadão Incentiva quer ajudar estudante a ter acesso a informação de qualidade; programa funciona como um jogo e tem apoio do Google

Redação, O Estado de S. Paulo

02 de julho de 2020 | 17h36

Em apenas dois dias, o Estadão Incentiva já alcançou a marca de 10 mil inscritos. Lançado na última quarta-feira, o programa criado pelo jornal dá acesso a informação de qualidade para estudantes de graduação, pós-graduação, mestrado e doutorado. 

Ao se cadastrarem com seus dados educacionais, os alunos recebem uma assinatura digital que poderá ser renovada continuamente por até um ano – para isso, os novos leitores devem se engajar com o conteúdo do Estadão em diferentes formatos. A intenção da plataforma, que tem apoio do Google, é fazer esse público criar o hábito de leitura de notícias e ajudá-lo na tomada de decisões com base em notícias de alto nível. 

Videogame

Toda a atividade do usuário no Estadão Incentiva acontecerá como se o leitor estivesse num jogo: a cada texto lido, comentado ou compartilhado, ele somará pontos por seu engajamento. Assistir a vídeos e responder a quizzes sobre os principais acontecimentos da semana também contarão. 

Ao cumprir uma quantidade determinada de tarefas, o jogador conseguirá renovar a assinatura por um mês, “passando de fase” – caso contrário, o usuário “perde uma vida”. Todo leitor começa o jogo com três vidas. Além disso, ao fazer diversas tarefas repetidas vezes, será possível também somar pontos em categorias que renderão medalhas ao jogador. Haverá ainda um ranking para mostrar quem são os leitores que mais estão interagindo com o conteúdo do jornal. 

Os pontos também serão contados para que o usuário suba de níveis. Conforme o progresso, haverá acesso a conteúdos especiais criados pela redação do Estadão e descontos para realizar uma assinatura após o período máximo de um ano se encerrar. 

Inovador

Além de ser um projeto inovador por si só, o programa Estadão Incentiva teve também uma origem inovadora: ele nasceu a partir de uma ideia em um treinamento de design thinking dado aos editores do jornal. Realizado há cerca de um ano, o curso buscava mostrar à redação como criar produtos e serviços digitais a partir da demanda de um usuário, dentro da lógica de transformação digital pela qual o Estadão vem passando nos últimos anos. 

O usuário, no caso, era um jovem que se interessava muito por notícias, mas não tinha condições financeiras para arcar com a assinatura de um jornal. A partir do protótipo, desenvolvido em um dia por uma das equipes que estavam no treinamento de design thinking, o projeto evoluiu e venceu a 1ª edição do Desafio de Inovação da Google News Initiative na América Latina. Ao todo, o desafio teve 303 inscrições de toda a América Latina, que concorreram a um valor total de R$ 16,5 milhões em financiamento. Destes, 30 projetos foram escolhidos. 

O desenvolvimento do programa está longe de seu fim: a partir das ideias e informações dos novos usuários, o Estadão Incentiva seguirá sendo aprimorado ao longo dos próximos meses, como cabe a um projeto inovador e digital. 

Tudo o que sabemos sobre:
Estadão [O Estado de S. Paulo]

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.