Lew'Lara/Estadão
Lew'Lara/Estadão

'Estadão' moderniza marca, que fica mais digital

Mudanças sutis na logomarca da empresa vêm na esteira da campanha 'Vem pensar com a gente'

O Estado de S.Paulo

23 de agosto de 2020 | 05h00

Junto com o reposicionamento "Vem pensar com a gente", com o qual o Estadão pretende intensificar uma postura aberta ao diálogo com os leitores, a partir do debate de temas importantes para o desenvolvimento do País, a marca de 145 anos de tradição vai ganhar mudanças sutis, com o objetivo de modernizar o logotipo e deixá-lo mais "digital".

A primeira mudança, de acordo com Márcia Esteves, presidente da agência de publicidade Lew’Lara\TBWA, está na cor. O azul escuro foi substituído por uma tonalidade mais clara, que remete a grandes marcas do setor de tecnologia, incluindo Google, Twitter e Microsoft. Houve também uma mudança na tipologia da marca, que ficou mais leve, segundo a executiva.

"Fizemos pesquisas quantitativas e qualitativas sobre o Estadão e percebemos que as pessoas estão em busca de informação de qualidade. Isso não mudou”, explica a presidente da Lew’Lara\TBWA. "Também notamos que o que importa é a mensagem, e não o meio. Por essa razão, era importante informar que o jornal hoje é multiplataforma. Como faz o melhor jornalismo do País, o Estadão está bem posicionado para estimular o exercício da liberdade de pensamento." A executiva ressalta que as mudanças na marca vieram para justamente deixar essa vocação digital mais evidente.

Olhar para o futuro

Por fim, houve também uma mudança importante no Ex-Libris, que mostra um entregador de jornal sobre um cavalo e é o principal símbolo do Estadão. O Ex-Libris, que sempre foi posicionado à esquerda do nome do jornal, agora está à direita. É um ajuste que embute uma mensagem importante, de acordo com Márcia Esteves. "A ideia é mostrar que o jornal está andando para frente, olhando sempre para o futuro. É o grande convite que fica dentro do reposicionamento 'Vem pensar com a gente'."

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.