Tiago Queiroz/Estadão
Tiago Queiroz/Estadão

'Estadão' tem forte crescimento em plataformas digitais

Com ‘virada digital’, audiência na internet teve alta de 21,6% em janeiro de 2021, na comparação com o mesmo mês do ano passado

Redação, O Estado de S.Paulo

25 de fevereiro de 2021 | 05h00

Depois de bater recorde de acessos em novembro de 2020, na esteira da cobertura das eleições, a versão digital do Estadão conseguiu reter a maior parte dos novos leitores e fechou janeiro de 2021 com crescimento de 21,6% em relação ao mesmo período do ano anterior. No mês passado, as plataformas online do grupo registraram um total de 36,4 milhões de visitantes únicos, segundo dados do Google Analytics.

Com esse crescimento, o Estadão conseguiu reduzir a diferença de audiência em relação a seu principal concorrente, a Folha de S. Paulo, de 40%, há pouco mais de um ano, para 2%, em janeiro de 2021. Em novembro de 2020, diante do conteúdo sobre política, as plataformas digitais do Estadão registraram um recorde de 47,4 milhões de visitantes únicos, superando a audiência da Folha no período. Os dados da Folha, também do Google Analytics, foram obtidos a partir da compilação das informações publicadas na capa do jornal.

“O ano de 2020 foi importante em nosso processo de transformação digital. Temos evoluído na conquista de audiência. Fomos o jornal líder em novembro em São Paulo, reforçando o compromisso do Estadão de fazer uma ampla cobertura jornalística nas eleições municipais”, afirma Leonardo Contrucci, diretor executivo de Estratégias Digitais do Grupo Estado. “E, depois do período eleitoral, temos mantido uma posição de destaque em nossa audiência, atingindo recordes para o período.”

A audiência da cobertura de eleições, que garantiu a liderança e o pico de audiência ao Estadão no fim de 2020, superou o recorde anterior das plataformas digitais do grupo, que havia sido registrado em abril do ano passado, em meio à busca de informações sobre a pandemia do coronavírus. Naquele mês, o Estadão havia atingido a marca de 43,6 milhões de usuários únicos, de acordo com dados do Google Analytics.

O foco no digital, tema de uma “virada” que o Grupo Estado tem feito ao longo dos últimos 18 meses, e que resultou na produção de conteúdos mais relevantes e abrangentes para a internet, mostrou-se também uma ferramenta de conquista de leitores. De outubro para cá, a audiência das plataformas online do Estadão permaneceu acima da marca de 30 milhões de visitantes únicos em todos os meses.

Circulação impressa

O resultado do digital vem para coroar outro marco obtido pelo Estadão no ano passado, quando o jornal atingiu a liderança em circulação de exemplares impressos entre veículos de São Paulo e do Rio de Janeiro. A publicação assumiu o primeiro lugar na região em maio de 2020, ficando à frente de seus principais concorrentes, a Folha de S. Paulo e O Globo

Na média consolidada do ano passado, segundo o Instituto Verificador de Comunicação (IVC), o Estadão teve uma distribuição diária média de 87.453 exemplares, ante 71.184 da Folha de S. Paulo e 87.374 contabilizados por O Globo. Embora a circulação impressa esteja em queda, a retração do Estadão foi de 13,3% em 2020, enquanto a das outras publicações superou a marca de 20%.

Em janeiro deste ano, a diferença do Estadão em relação a seus dois principais concorrentes ficou mais clara: o jornal atingiu uma circulação impressa média de 79.892 exemplares por dia, ante 76.370 de O Globo e 63.353 da Folha de S. Paulo.

“Dentro desse processo de transformação digital, também temos um foco especial em nosso produto impresso, pois ele atende um segmento estratégico de clientes da empresa. Fechamos 2020 na liderança no eixo Rio–São Paulo e com crescimento de nosso market share (participação de mercado)”, afirma o executivo de Estratégias Digitais do Grupo Estado.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.