‘Estadão’ terá clube de vinhos e alta gastronomia

Clube Paladar, que será lançado hoje, incluirá uma loja virtual e um serviço de assinaturas; Grand Cru será sócia em projeto de vinhos

O Estado de S.Paulo

29 de março de 2017 | 05h00

O ‘Estadão’ lança hoje o Clube Paladar, e-commerce focado no mercado da alta gastronomia. O projeto começa com a venda de vinhos na loja virtual e por assinatura mensal, mas se estenderá a outros itens, como queijos e cachaças, nos próximos meses.

A proposta vem sendo desenvolvida desde meados do ano passado e segue uma tendência internacional. Nos Estados Unidos, por exemplo, o The New York Times tem seu clube do vinho desde 2009. No ano passado, o jornal americano passou a comercializar também ingredientes das receitas que são apresentadas em seu portal gastronômico, o NYT Cooking.

A iniciativa do Estadão vai mesclar o conteúdo do suplemento Paladar com a oferta de vinhos exclusivos. O Clube Paladar, segundo o diretor executivo comercial do Grupo Estado, Flavio Pestana, converge com a linha dos novos projetos da empresa. “Temos procurado desenvolver negócios que possam ser agregados a nossos ativos – marca, credibilidade, conteúdo e audiência.”

Curadoria. Pestana explica que o vinho foi escolhido para ser o primeiro produto do e-commerce por causa do crescimento consistente do mercado no Brasil e do fato de o Estadão e a Grand Cru, sócia no projeto, terem as ferramentas para construir uma curadoria para os assinantes do clube.

“Será uma combinação única da seleção dos melhores vinhos do mundo, oferecidos pela Grand Cru, com a maior referência gastronômica editorial do Brasil, que é o Paladar”, explica Luciano Kleiman, presidente da Grand Cru.

De acordo com a diretora do Clube Paladar, Mariana Castriota, a ideia do programa não é apenas vender os vinhos, mas também suprir a falta de informação sobre os produtos. “O que tem afastado as pessoas do consumo é a falta de conhecimento. Muitos consumidores não sabem qual vinho comprar ou qual corresponde melhor a seu paladar”, diz.

Uma pesquisa feita pela empresa HSR a pedido do Estadão mostra que 95,2% dos entrevistados gostariam de ter mais informações sobre vinhos e que 47,8% consideram conhecer pouco sobre esse universo. Ainda de acordo com o levantamento, 32,3% dizem que seu interesse pela bebida aumentou um pouco nos últimos anos e, para 11%, aumentou muito.

Assinatura. O consumidor que optar pela assinatura do Clube Paladar receberá mensalmente dois rótulos em casa. Os vinhos serão selecionados por alguns dos principais sommeliers do País e haverá três tipos de assinatura, cujos preços vão variar de R$ 100 a R$ 300 para duas garrafas por mês, dependendo da origem e da sofisticação de cada produto (veja mais ao lado).

Em todos os casos, a ideia será desenvolver a capacidade do assinante de apreciar a bebida. Por isso, os rótulos enviados mensalmente serão sempre de tipos de uva e de regiões diferentes. “Nunca serão dois do Velho Mundo ou dois Malbec. Será, por exemplo, um Merlot e um Cabernet Sauvignon. Queremos levar experiência e conhecimento ao consumidor”, ressalta Mariana, diretora do Clube Paladar.

Os assinantes também receberão, todos os meses, uma revista com entrevistas com especialistas, reportagens sobre vinhedos e avaliações dos vinhos do mês feitas por sommeliers.

No site do Clube, também será possível comprar os vinhos de modo avulso. A página do projeto contará com informações sobre a bebida, a vinícola que a produz e ainda dará dicas de harmonização. O Clube ainda terá um canal no YouTube, o TV Paladar, com vídeos com entrevistas sobre gastronomia.

Kleiman, da Gran Cru, informa que, inicialmente, cem rótulos serão oferecidos no e-commerce. Esse número deverá ser ampliado continuadamente e, nos próximos meses, alguns vinhos exclusivos deverão ser incluídos no portfólio.

Criada na Argentina em 1998, a importadora e distribuidora Grand Cru chegou ao Brasil em 2002 e hoje tem 12 lojas próprias e 34 franquias no País.

O Estadão projeta que o Clube Paladar terá 10 mil assinantes até o fim deste ano.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.