DANIEL TEIXEIRA/ESTADAO
DANIEL TEIXEIRA/ESTADAO

Estado de SP obtém liminar para garantir transporte público no dia 28

Decisão vale para transporte metroviário e ferroviário; diversas categorias aderiram à paralisação

O Estado de S.Paulo

26 de abril de 2017 | 20h39

O Estado de São Paulo obteve na Justiça uma liminar para garantir o direito de locomoção dos cidadãos na próxima sexta-feira, 28, dia em que várias categorias de trabalhadores pretendem realizar uma paralisação contra as reformas trabalhista e da Previdência.

Em nota, o governo estadual informou que a decisão vale para o transporte metroviário e ferroviário. A liminar também determina que os sindicatos se abstenham de promover greve total ou parcial dos serviços, sob pena de multa de R$ 937 mil a cada entidade.

Mais cedo, diversas categorias de trabalhadores confirmaram apoio à paralisação, entre elas Correios e aeroviários, além de professores das redes pública e privada, bancários e metalúrgicos. Veja aqui a lista.

A Central Única dos Trabalhadores (CUT) divulgou nesta quarta-feira que todas as categorias profissionais vinculadas à entidade aderiram à paralisação e vão em cidades dos 26 Estados e no Distrito Federal.

Em São Paulo, uma manifestação chamada pelas frentes Brasil Popular e Povo Sem Medo está marcada para as 17h no Largo da Batata. No Rio de Janeiro, um ato está programado para as 15h na Cinelândia.

Já em Brasília, a intenção da greve geral convocada para a próxima sexta-feira, 28, é deixar a Esplanada vazia. A instrução do sindicato dos Servidores Públicos Federais do Distrito Federal (Sindsep-DF) é para que os funcionários públicos permaneçam em suas casas.

"Quanto menos gente na Esplanada, melhor. A ideia é que as pessoas fiquem em casa, até mesmo porque não vai haver transporte público coletivo na sexta-feira. Queremos a Esplanada e a cidade vazia, pois é uma greve de produção e circulação", afirmou o secretário-geral do Sindsep, Oton Pereira Neves.

Segundo ele, a partir das 7h, haverá piquetes nas portas de todos os órgãos federais na capital para o convencimento dos funcionários que tentarem ir trabalhar. A previsão é de que poucas pessoas se reúnam a partir das 10h no "Espaço do Servidor", localizado entre os blocos C e D da Esplanada (entre os ministérios do Planejamento e da Agricultura)./COM DANIEL WETERMAN E EDUARDO LAGUNA, DO BROADCAST

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.