Estado indiano é obrigado a vender refrigerantes

A Suprema Corte indiana rejeitou nesta quinta-feira, 15, o pedido do governo do Estado de Kerala, no sul do país, de manter a proibição da venda e distribuição de refrigerantes da Coca-Cola e da PepsiCo em seu território.Com a decisão, o Supremo confirma a sentença prévia determinadano dia 22 de setembro pelo Tribunal Superior de Justiça do Estado de Kerala, que contestou a proibição da venda e produção derefrigerantes das duas empresas, como havia sido decidido pelogoverno regional, informou nesta quinta a agência indiana PTI.O governo de Kerala, comunista, proibiu os refrigerantes dascompanhias depois que a ONG indiana Centro para as Ciências e o Meio Ambiente (CSE) denunciou a presença de pesticidas em seus produtos, em setembro de 2006.Após serem obrigadas a paralisar a produção de suas fábricas naslocalidades de Plachimada e Puthussery, as companhias recorreram aos tribunais por considerar a ordem governamental inconstitucional.No entanto, o governador de Kerala, V.S. Achuthanandan justificoua proibição afirmando que são muitos os estudos que demonstram queestas bebidas contêm elementos perigosos para a saúde.Apesar de Kerala ter sido a única região indiana a proibir aprodução dos refrigerantes, os Estados de Chhattisgar e MadhyaPradesh, no centro do país, Rajastão (norte), e Gujarat (oeste)proibiram sua venda em instituições educativas e repartiçõespúblicas.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.