''Estado'' tem maior alta de circulação e consolida liderança em São Paulo

Média diária de circulação subiu para 236 mil exemplares, com crescimento de 9%; somadas as edições impressa e digital, avanço foi de 11%

, O Estado de S.Paulo

30 de janeiro de 2011 | 00h00

O ano de 2010 foi positivo para os jornais brasileiros. No balanço de desempenho divulgado na semana passada pelo Instituto Verificador de Circulação (IVC), a circulação total dos títulos auditados teve alta de 1,5% em relação ao ano anterior. Entre os dez maiores títulos em circulação, a maior alta foi de O Estado de S. Paulo, que avançou 9% no ano, chegando à média anual de 236 mil exemplares.

Computando-se as edições impressa e digital, o Estado, mais antigo diário de São Paulo, registrou um crescimento de 11%. É o melhor desempenho entre os dez maiores jornais do ranking nacional medido pelo IVC.

O jornal também confirmou sua preferência tanto pelos paulistanos como pelos paulistas. Ao longo do ano, distanciou-se do seu principal concorrente, a Folha de S. Paulo, tanto na Grande São Paulo quanto no Estado de São Paulo, fechando o ano com média impressa de 227 mil exemplares, de segunda a domingo, no território paulista (veja quadros nesta página).

A Folha teve, em dezembro, circulação impressa média de 209 mil exemplares no Estado, tendo perdido 8% de sua circulação na região, enquanto o Estado ganhou 11% de exemplares impressos no mesmo período.

Na circulação total, impressa e digital, a média anual dos principais veículos também traz novidades no ano que acaba de se encerrar. A maior delas é a perda de liderança da Folha de S. Paulo para o jornal mineiro Super Notícia no mercado nacional. A Folha permaneceu com média anual de 294 mil exemplares no ano, e o jornal mineiro atingiu 296 mil em 2010 (leia texto nesta página). O jornal carioca O Globo aparece em terceiro lugar, com circulação média anual de 262 mil leitores no ano, seguido de outro jornal do Rio, o popular Extra, com 238 mil exemplares.

Em março de 2010, o Estado estreou novo projeto gráfico e lançou novos cadernos e seções. O Projeto Redesenho, coordenado pela área de Conteúdo com apoio do estúdio de design Cases, de Barcelona, foi considerado bem-sucedido em pesquisas feitas em dezembro com leitores de todos os jornais. Os leitores consideraram que o Estado ficou mais organizado, agradável e fácil de ler, e manteve a qualidade de conteúdo que sempre o caracterizou. Os Classificados também foram redesenhados.

"Os investimentos que foram feitos na melhoria do jornal ao longo do ano, aliados a uma campanha bem-sucedida com os leitores, geraram um resultado positivo que vem permanecendo no mesmo nível no início deste ano", diz João Carlos Rosas, diretor de marketing e mercado leitor do Grupo Estado. "A expectativa é de que o meio jornal se mantenha aquecido, com o crescimento de veículos como o Super Notícia e O Globo, que ampliaram suas participações no mercado leitor nos últimos meses do ano."

Círculo virtuoso. O reconhecimento do mercado leitor e do mercado publicitário formam o que o diretor-presidente do Grupo Estado, Silvio Genesini, classifica de "círculo virtuoso" para os produtos impressos e digitais do Grupo. "O jornal se destacou em reportagens e coberturas e consolidou-se como o mais admirado entre todos os veículos. Além disso, recebemos o Prêmio Caboré, um reconhecimento do meio publicitário, e voltamos a conquistar leitores, conforme mostram os dados do IVC", diz Genesini. "Seja qual for o meio, tivemos o reconhecimento do mercado e dos leitores, o que nos permite seguir oferecendo conteúdos de qualidade. Isso é um círculo virtuoso."

Genesini lembra que, entre as realizações planejadas para o ano, estava o objetivo de crescer no impresso. "Mas também avançamos e podemos ser lidos e vistos em plataformas como Android e iPad, no iPhone, em dois canais do MSN - um de notícias gerais e outro de esportes, em parceria com a ESPN", explica. "A soma de tudo isso estende nosso alcance junto aos leitores e internautas em todas as plataformas possíveis."

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.