Estados aceitaram flexibilizar restrições ao MS, diz Maciel

Os representantes de 15 Estados e do Distrito Federal aceitaram flexibilizar o comércio de carne e derivados do Mato Grosso do Sul, onde foi registrado um foco de febre aftosa, no município de Eldorado.Segundo nota de recomendação divulgada hoje pelo secretário de Defesa Agropecuária do Ministério da Agricultura, Gabriel Alves Maciel, ficou acordado na reunião que carne desossada e maturada de animais susceptíveis à febre aftosa (bovinos, bubalinos, suínos, caprinos e ovinos), além de aves e pescado, não serão alvo de restrições para os municípios de fora da área definida pelo ministério. Estes municípios - Eldorado, Japorã, Mundo Novo, Itaquaraí, Iguatemi - estão localizados num raio de 25 Km a partir de Eldorado. No caso de leite e derivados, que foram submetidos a tratamentos aprovados pela Organização Mundial de Saúde Animal (OIE), também não haverá restrição aos produtos de fora da zona tampão."O mesmo critério vale para couros tratados", disse Maciel, que fez um relato da reunião. No caso de animais vivos, serão acordadas bilateralmente acordo entre o governo do Mato Grosso do Sul e as demais unidades da Federação. A flexibilização do comércio, segundo o secretário, vale a partir de agora, mas os representantes dos estados não assinaram um documento. "Trabalhamos com pessoas maduras e responsáveis", disse o secretário.Posição dos EstadosO secretário de Santa Catarina, Moacir Sopelsa, deixou a reunião dizendo que "o Estado não vai abrir suas divisas para o comércio com o Mato Grosso do Sul". Ele disse que qualquer definição depende de uma análise técnica e por isso uma reunião na segunda-feira em Florianópolis reunirá representantes dos governos do da região Sul. Ele disse que Santa Catarina é o único Estado reconhecido pela OIE como área livre de aftosa sem vacinação.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.