Ruth Fremson/The New York Times
Ruth Fremson/The New York Times

"be water"

Coluna Leandro Miranda: como se moldar à nova economia após a covid-19?

EUA aplicam outra multa à Boeing; 'modelo 737 é desenhado por palhaços', zombavam funcionários

Empresa se encontra em uma profunda crise de reputação, especialmente após as divulgações de comunicações internas de empregados

EFE, O Estado de S.Paulo

10 de janeiro de 2020 | 23h51

WASHINGTON - O governo dos Estados Unidos anunciaram nesta sexta, 10, uma multa de US$ 5,4 milhões (quase R$ 22 milhões) contra a Boeing por ter supostamente divulgado informações errôneas sobre os aviões 737 envolvidos no acidente que matou 346 pessoas na Indonésia e na Etiópia dentro de um período de 5 meses. 

A nova multa se soma a de US$ 3,9 milhões que o governo já havia aplicado à Boeing no último mês de dezembro, devido ao mesmo problema nas asas do 737, afirmou a agência reguladora americana Administração Federal de Aviação (FAA, na sigla em inglês) . 

No centro da polêmica está o componente que serve para guiar a direção da asa no momento da decolagem e aterrissagem. A Boeing teria assegurado que esse item cumpria todos os protocolos de segurança. Mas a FAA acusa a Boeing de não ter supervisionado a peça adequadamente.

A Boeing tem 30 dias para revisar a multa e chegar a um acordo com o governo americano. 

A empresa já se encontra em uma profunda crise de reputação, especialmente após as recentes divulgações de comunicações internas de empregados da Boeing, que sabiam dos problemas existentes no modelo 737 e ainda zombavam das falhas. 

“O 737 é desenhado por palhaços que, por sua vez, são supervisionados por macacos”, lê-se em uma mensagem. 

O problema afetou 178 aviões do modelo 737, segundo nota divulgada à imprensa. Os modelos 737 Max permanecem em terra desde março de 2019 em quase todo o mundo.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.