´Estamos a caminho do superávit nominal´, diz Mantega

O ministro da Fazenda, Guido Mantega, disse nesta terça-feira, 13, em reunião do Conselho de Desenvolvimento Econômico e Social, que o déficit nominal do setor público (diferença entre receitas e despesas, incluindo os gastos com o pagamento de juros da dívida pública) poderá cair de 1,9% neste ano para 0,2% do Produto Interno Bruto (PIB) em 2010. "Estamos a caminho de atingir o superávit nominal", disse o ministro. Pelas projeções de Mantega, o déficit nominal de 2008 seria de 1,2% do PIB e chegaria a 0,6% em 2009. O ministro também estimou uma variação da dívida líquida do setor público de 2007 até 2010 de 48,3% para 39,7% do PIB. Isto, segundo ele, ajudará o País a atingir o grau de investimento das agências internacionais de classificação de risco. O ministro estimou ainda que a dívida em 2008 chegaria a 45,8% do PIB e atingiria os 42,9% em 2009. O ministro esclareceu que levou em conta nos cálculos um superávit primário de 4,25% do PIB ou de 3,75% do PIB. O superávit poderia cair para 3,75% se os gastos com o Projeto Piloto de Investimentos (PPI) atingirem o 0,5% do PIB, como apresentado no lançamento do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC). Durante a reunião, o próprio ministro disse não acreditar na hipótese de os gastos com PPI atingirem 0,5% do PIB. As projeções do ministro também levaram em conta um crescimento da economia de 4,5% este ano e de 5% anuais de 2008 a 2010.DólarSegundo Mantega, o governo não estuda a possibilidade de taxar as exportações de commodities para conter a queda do dólar ante o real. "Nós não gostamos de medidas artificiais", disse.O consultor de empresas Antoninho Marmo Trevisan, que também é membro do Conselho, também se mostrou contrário à idéia de se taxar exportações de commodities. "As exportações são sempre algo saudável para a economia", disse o consultor. Super ReceitaO ministro disse ter ficado muito satisfeito com a aprovação do projeto da Super Receita pela Câmara dos Deputados. "É um primeiro passo em direção a uma reforma tributária mais abrangente", disse o ministro. A Super Receita, de acordo com Mantega, reduzirá a burocracia que as empresas têm de enfrentar e também ajudará no processo de modernização da máquina tributária do País.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.