Lorenna Rodrigues
Lorenna Rodrigues

Guedes confirma indicação de Rubem Novaes para o BB e Pedro Guimarães para a Caixa

Carlos Von Doellinger foi recomendado pelo futuro ministro da Economia para presidir o Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea)

Luciana Dyniewicz e Eduardo Rodrigues, O Estado de S.Paulo

22 Novembro 2018 | 15h05
Atualizado 23 Novembro 2018 | 12h15

BRASÍLIA - A assessoria do futuro ministro da Economia, Paulo Guedes, confirmou nesta quinta-feira, 22, por meio de nota, que ele recomendou ao presidente eleito Jair Bolsonaro a indicação de economista Pedro Guimarães para presidir a Caixa Econômica Federal; e do economista Rubem Novaes para comandar o Banco do Brasil.

A nota informa ainda que o economista Carlos von Doellinger foi indicado por Guedes para presidir o Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) e aceitou o convite. Os três nomes já tinham sido antecipados pelo Broadcast mais cedo, segundo informação dada por fonte da área econômica.

Caixa

Pedro Guimarães é PhD em Economia pela Universidade de Rochester, com especialização em privatizações, tendo mais de 20 anos de experiência no mercado financeiro, com passagem por instituições como Banco Bozano, Simonsen, banco BTG Pactual e Banco Brasil Plural.

Guimarães afirmou que aceitaria eventual convite para assumir o banco público. Após almoçar no Centro Cultural Banco do Brasil (CCBB), onde acontecem as reuniões da equipe de transição do presidente eleito Jair Bolsonaro (PLS), Guimarães evitou dizer se seu nome já está confirmado. "Não sei o que o Paulo [Guedes] já falou".

Ao ser perguntado se aceitaria o convite, disse apenas "claro". Guimarães é um dos responsáveis pela área de privatizações na equipe de transição. Perguntado pelos jornalistas se a Caixa é uma das estatais que podem ser vendidas à iniciativa privada, ele disse que "o controle, nunca".

BB

Rubem Novaes também é PhD em Economia pela Universidade de Chicago, foi professor da FGV, diretor do BNDES e presidente do Sebrae. Ele é autor do livro "Investimentos Estrangeiros no Brasil: Uma Análise Econômica", e é colaborador do Instituto Liberal-RJ.

Ele afirmou mais cedo que mantinha conversas com o futuro ministro da Economia, Paulo Guedes, sobre o Banco do Brasil, mas esperava uma confirmação de Guedes ou do próprio presidente eleito, Jair Bolsonaro, sobre convite para presidir o banco estatal. "Estamos conversando sobre Banco do Brasil", disse Novaes. "Estou esperando que Guedes e Bolsonaro se pronunciem", acrescentou.

Questionado sobre o teor dessas conversas em torno do BB e quais seriam as prioridades para a instituição, Novaes disse apenas que está tomando conhecimento da situação do banco e que prefere falar mais sobre o assunto somente após uma eventual confirmação de seu nome. Ele tem sido presença constante nas reuniões da equipe de transição.

Ipea

Já o economista Carlos von Doellinger é pesquisador aposentado do Ipea e economista da UFRJ. Já presidiu o Banco do Estado do Rio de Janeiro (Banerj) e já integra a equipe econômica de transição do futuro governo.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.