Estamos em um momento da economia que todos queriam, diz Fraga

O ex-presidente do Banco Central e sócio da Gávea Investimentos Armínio Fraga disse hoje que a economia dá sinais de pujança e que "se o Banco Central tiver que fazer algum ajuste fino, que faça". Fraga referia-se à possibilidade de aumento de inflação. O economista lembrou que a trajetória de juro real ? juro nominal descontada a inflação ? tem sido declinante e considerou a queda de 11% para 8,5% ocorrida nesta taxa como relevante.De acordo com Armínio, estamos em um momento da economia "que todos queriam ver". Ele disse também que a capacidade instalada - potencial de produção de determinado setor da economia ? de vários setores está sendo mais utilizada (veja no link abaixo informações divulgadas pela CNI nesta semana).Armínio elogiou o sistema de metas de inflação, implementado em sua gestão no Banco Central, e disse que o sistema brasileiro tem flexibilidade e credibilidade. "É verdade que não atingiu todas as metas (desde 1999), mas o sistema nunca pretendeu ter esta precisão", afirmou.Fraga citou ainda que depois da grande inflação americana da década de 70, os livros-texto de economia recomendam que sempre que a expectativa de inflação aumente um ponto porcentual, o Banco Central reaja aumentando em pouco mais de um ponto porcentual a sua taxa de juros, para que o juro real não caia.Sem comentários sobre MeirellesFraga não quis comentar nada relacionado às denúncias contra o presidente do Banco Central Henrique Meirelles. Ele participa do seminário "Cinco anos de Metas para a Inflação", que está sendo realizado no BC, no Rio de Janeiro.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.