Jonathan Ernst/Reuters
Jonathan Ernst/Reuters

'Estamos negociando com a China, mas eles sempre mudam o acordo para seu benefício', diz Trump

Presidente americano critica chineses no dia em que os dois países iniciam mais uma rodada de negociações comerciais

Monique Heemann, O Estado de S.Paulo

30 de julho de 2019 | 11h28

O presidente americano, Donald Trump, voltou a criticar a China no Twitter na manhã desta terça-feira, 30. "Minha equipe está negociando com eles agora, mas eles sempre mudam o acordo no final para seu benefício", afirmou, no momento em que delegações de Washington e Pequim retomam as negociações comerciais em Xangai. 

O secretário do Tesouro dos Estados Unidos, Steven Mnuchin, e o representante comercial do país, Robert Lighthizer, já estão na China para discutir a guerra de tarifas entre os países. No entanto, declarações recentes ambíguas das duas partes na tratativa comercial deixam dúvidas sobre quão próximos Washington e Pequim estão de chegar a algum tipo de entendimento em meio à atual trégua tarifária.   

Trump afirmou que "a China está indo muito mal, pior ano em 27" - em referência ao crescimento mais lento em 27 anos do Produto Interno Bruto (PIB) chinês. Segundo o presidente, o gigante asiático "deveria começar a comprar nossos produtos agrícolas agora", mas não há sinais "de que estão fazendo isso".

O presidente ameaçou, ainda, que, se reeleito em 2020, "o acordo que eles conseguirão será muito mais difícil do que o que estamos negociando agora... Ou [não haverá] nenhum acordo". Se um democrata vencer o pleito, no entanto, Trump ironizou que a China fará "um ótimo negócio, como nos últimos 30 anos, e vai continuar a enganar os EUA".

A retomada das negociações, além da perspectiva de corte de juros nos EUA, contribuiu para o fechamento em alta das Bolsas da Ásia nesta terça. Esses dois fatores também mexem com o preço do petróleo. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.