‘Estamos preparados para interromper perfuração’, diz presidente da Chevron

ANP anunciou na véspera que decidiu suspender as atividades da petroleira no País

Karla Mendes, da Agência Estado,

24 de novembro de 2011 | 15h39

BRASÍLIA - O presidente da Chevron para África e América Latina, Ali Moshiri, disse nesta quinta-feira, 24, que a companhia está preparada para interromper imediatamente as perfurações no Campo de Frade, na Bacia de Campos (RJ). "Nós estamos preparados para parar a perfuração e entender claramente as causas (do vazamento de petróleo)", disse Moshiri, ao comentar a decisão da Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP) anunciada ontem à noite de suspender as atividades da companhia no Brasil.

"Não planejávamos retomar a perfuração até que entendêssemos completamente a situação", declarou. Sobre a decisão da ANP, que também negou o pedido da Chevron para fazer explorações no pré-sal, o executivo afirmou: "Vamos esperar. Nós somos pacientes". Moshiri deu essas declarações pouco antes de reunir-se com o ministro de Minas e Energia, Edison Lobão. Também participa da reunião o presidente da Chevron no Brasil, George Buck. 

Moshiri afirmou ainda que todo o processo de selamento de poços de petróleo será revisado e que até meados de dezembro deve ser finalizado o processo de selamento e abandono do poço de Frade, na Bacia de Campos.

O executivo disse ainda que segurança é a prioridade número um da companhia. "A primeira prioridade da Chevron é a segurança", enfatizou. Segundo o executivo, a unidade brasileira de Chevron tem um dos maiores índices de segurança do grupo no mundo.

(Texto atualizado às 18h30)

Tudo o que sabemos sobre:
chevronperfuraçãopetróleo

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.