‘Estamos deixando de ser o último peru gordo do Natal’, diz Mantega

Para ministro, movimento de queda dos juros está transformando o Brasil no país do investimento e da produção

Bianca Ribeiro, da Agência Estado,

04 de julho de 2012 | 21h39

O ministro da Fazenda, Guido Mantega, voltou a enaltecer nesta quarta-feira, 4, a política econômica do governo neste momento de crise ao afirmar que o País está demonstrando "melhor equilíbrio". O movimento de juros menores e a inflação controlada "veio para ficar", disse.

"Com juros em níveis normalizados há redução de custo para investimento das empresas. Estamos deixando de ser o último peru gordo do Natal para ser o País do investimento e da produção," complementou.

O ministro reforçou que o Brasil está em condições de superar a crise vigente e que, com os esforço do governo de reduzir a taxa de juros, manter o real competitivo e uma política fiscal forte, o País poderá começar "um novo ciclo de expansão forte". Ele não mencionou, no entanto, a que taxas o País cresceria nesse novo ciclo.

Em seu discurso de encerramento do prêmio Maiores e Melhores, da revista Exame, Mantega voltou a dizer que a crise é séria e não poupa países emergentes como Brasil, China e Índia. Disse ainda que o principal efeito negativo para o Brasil é a perda de confiança do empresariado, que acaba adiando investimentos em meio a um clima de cautela.

Ainda assim, ele destacou que o governo não está inerte e que mesmo sendo criticado por excesso de zelo, vem tomando medidas desde o segundo semestre do ano passado. "Não foram poucos os que nos criticaram, nos classificando de pessimistas, mas hoje está claro que nosso diagnóstico estava certo", afirmou.  

Tudo o que sabemos sobre:
MantegaBrasilcrisecrescimento

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.