carteira

As ações mais recomendadas para dezembro, segundo 10 corretoras

Estatal da Venezuela ultrapassa Shell nos EUA

A estatal venezuelana PDVSA ultrapassou a Shell e tornou-se a maior empresa estrangeira na distribuição de combustíveis nos Estados Unidos, com 13.682 postos de atendimento. Os dados foram divulgados pela agência de informações sobre energia dos Estados Unidos (Energy Information Agency - EIA), que traz um balanço da presença de capital estrangeiro no mercado de energia naquele país até o final de 2005. A Shell, que tinha 15.821 lojas no final de 2004, reduziu a sua rede para 13.500 postos no final daquele ano, enquanto a PDVSA manteve a sua rede praticamente intacta, com redução de apenas 12 unidades no período. A PDVSA atua na distribuição de combustíveis nos Estados Unidos através da sua controlada Citgo Petroleum.Ao todo, segundo a EIA, os Estados Unidos contavam com uma rede de 167.476 postos no final de 2005, dos quais 47.628 pertencentes a grupos estrangeiros, o que representava cerca de 28,4% do total. Essa participação tem se reduzido gradualmente, já que em 2003 os estrangeiros respondiam por 31,4% do abastecimento, caindo para 30,6% no final de 2004 e os 28,4% em 2005. Em número de empresas, os EUA contavam com 9.011 companhias atuando na distribuição de derivados de petróleo, das quais 2.846 eram estrangeiras, o que corresponde a 31,7% do total. A terceira maior rede estrangeira atuando nos EUA é a BP, com 12.800 postos, com redução de 9,9% em relação ao ano anterior.Além de manter a rede de postos praticamente intacta, a estatal venezuelana foi a única grande empresa estrangeira que aumentou a capacidade de refinar petróleo no mercado americano. Em 2005, a PDVSA tinha capacidade de processar 1,271 milhão de barris por dia, com aumento de 8,0% em relação ao final de 2004. A maior empresa estrangeira no segmento, porém, é a BP, que tinha capacidade de refinar 1,476 milhão de barris diários. Ao contrário da PDVSA, a BP reduziu em 1,9% a sua capacidade de processamento de petróleo nos Estados Unidos. Ao todo, no final de 2005, as refinarias americanas processavam cerca de 17,339 milhões de barris por dia, com aumento de 1,2% em relação ao ano anterior. As empresas estrangeiras processavam 4,848 milhões de barris diários, com aumento de 3,5% em relação ao final de 2004.

ALAOR BARBOSA, Agencia Estado

07 de fevereiro de 2008 | 15h26

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.