Estatuto do BNDES mudará para financiamento no exterior

Empresas como O Boticário e a Marcopolo já manifestaram interesse pela abertura de linhas de financiamento do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) para a realização de investimentos no exterior, confirmou hoje o ministro do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, Sérgio Amaral. Segundo ele, dentro de no máximo três semanas deverá ser publicado um decreto presidencial alterando o estatuto do BNDES para este fim.O ministro afirmou ainda que o governo deverá analisar, na próxima quarta-feira, em reunião da Camex, se o País dará entrada a recursos na Organização Mundial do Comércio (OMC) envolvendo a adoção de medidas protecionistas pelo governo norte-americano que afetem a soja, o açúcar e o algodão. O recurso é um pleito do setor agropecuário nacional.Amaral, que participou do Segundo Fórum Infra 2020, que termina hoje em São Paulo, disse que ainda não está definido se o BNDES realizará aporte de capital ou se liberará linhas de crédito para permitir a reestruturação das companhias aéreas, para assegurar competitividade em relação às concorrentes estrangeiras. "Esta é a última parte de um estudo que vem realizado em conjunto pelo BNDES e as empresas, que poderá levar alguns meses", disse.O ministro não quis comentar as declarações do secretário do Tesouro dos EUA, Paul O´Neill, que se mostrou contrário a uma nova ajuda do Fundo Monetário Internacional (FMI) para o País, devido à incerteza do quadro político.

Agencia Estado,

21 de junho de 2002 | 18h16

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.