finanças

E-Investidor: "Você não pode ser refém do seu salário, emprego ou empresa", diz Carol Paiffer

Estoque de crédito cresce 0,9% em junho

Alta foi puxada pelos empréstimos às pessoas físicas, cujo crescimento foi de 1%; no crédito às empresas houve avanço de 0,9%, informou o Banco Central

Victor M. Alves, Laís Alegretti, Agência Estado

29 de julho de 2014 | 10h30

BRASÍLIA - Apesar do clima pessimista que domina o varejo e a indústria, o estoque de operações de crédito do sistema financeiro subiu 0,9% em junho ante maio e chegou a R$ 2,830 trilhões, informou o Banco Central. No acumulado em 12 meses, houve elevação de 11,8%.

No mês, a alta foi puxada pelo crédito às pessoas físicas, cujo crescimento foi de 1%. No crédito às empresas houve avanço de 0,9%.

De acordo com o BC, o crédito livre subiu 0,7% no mês e aumentou 5,5% em 12 meses, enquanto o direcionado (financiamento habitacional, na agricultura e repasses do BNDES) aumentou 1,2% ante maio e 20,2% em 12 meses.

No crédito livre, houve crescimento de 0,3% para pessoas físicas no mês e alta de 5,8% em 12 meses. Para as empresas, no crédito livre, houve alta de 1,1% no mês e aumento de 5,1% em 12 meses.

O BC informou ainda que o total de operações de crédito em relação ao Produto Interno Bruto (PIB) passou de 56,2% em maio para 56,3% em junho. O número de maio, que era de 56,1%, foi revisado. 

Imóveis. As operações de crédito direcionado para habitação cresceram 2,1% em junho no segmento pessoa física, totalizando R$ 384,517 bilhões no fim do mês passado. Em 12 meses, a expansão é de 28,9%. Segundo o BC, R$ 38,754 bilhões se referem a empréstimos a taxas de mercado e R$ 345,763 bilhões, a taxas reguladas.

O BC deixou de incorporar nestes dados as operações com crédito livre, por serem residuais. As operações a taxas de mercado apresentaram crescimento de 1,3% no mês e de 23,6% em 12 meses. Já os financiamentos a taxas reguladas avançaram 2,2% ante o mês anterior e 29,5% em 12 meses. 

Veículos. O estoque de operações de crédito para compra de veículos por pessoa física caiu 0,8% na passagem de maio para junho. Com isso, o total de recursos para aquisição de automóveis por esse grupo de clientes ficou em R$ 186,5 bilhões no mês passado, ante R$ 188,0 bilhões em maio. Em 12 meses a queda é de 3,7% no estoque dessas operações.

As concessões acumuladas em abril para financiamento de veículos para pessoa física somaram R$ 6,853 bilhões, o que representa uma queda de 10,9% em relação ao mês anterior (R$ 7,694 bilhões).

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.