Tiago Queiroz/Estadão
Tiago Queiroz/Estadão

‘Estou com um financiamento de R$ 150 mil que não sai’

Para dona de imobiliária, brasileiro não tem mais poder de compra

Rodolfo Mondoni e Teresa Patrícia Oliveira, Especiais para O Estado

29 Maio 2015 | 09h00

Maria das Graças Arantes, 63 anos de idade e 30 de experiência no mercado imobiliário, diz que antes da crise conseguia vender dez imóveis por mês. Hoje, à empresa leva quatro meses para comercializar dois imóveis. "O brasileiro não tem mais poder de compra", afirma.

 

Segundo a proprietária da Estilo Imóveis, o setor imobiliário desempregou muita gente, principalmente as empresas de grande porte. Ela diz que muitas estão paralisadas, porque não têm como pagar aluguel de R$ 5 mil e manter uma folha de pagamento muito alta, já que não estão conseguindo vender.

"Neste momento, a construção de prédios está paralisada e os que já estão construídos não estão sendo vendidos", diz ela.

De acordo com Maria das Graças, a mudança de regras da Caixa Econômica Federal, responsável por 70% dos financiamentos imobiliários do País, afetaram o mercado. 

"Estou com um processo de financiamento de R$ 150 mil parado a 60 dias que não sai. A aprovação já existe, mas o banco não tem recurso para liberar e ninguém diz quando será assinado", diz.

Maria da Graça explica que os corretores de imóveis trabalham para ganhar em torno de 6% a 8 % do valor da venda. Hoje em dia, ela tem de reduzir a comissão, senão o negócio não fecha. "Acho que o Brasil estacionou, porque o mercado imobiliário parou de se movimentar", afirma ela. 

Mais conteúdo sobre:
imóvelfinanciamento

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.