Estrangeiros colocam R$ 2,5 bi na Bolsa em julho e têm a maior participação

A Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa) encerrou julho com fluxo de recursos estrangeiros positivo. O saldo foi de R$ 2.508,682 milhões, resultado de compras de ações no valor de R$ 10.950,460 milhões e de vendas de R$ 8.441,777 milhões. No acumulado do ano, o saldo de investimento estrangeiro está positivo em R$ 3.007,536 milhões. No total, o volume financeiro na Bolsa caiu no mês passado e chegou a R$ 28,23 bilhões, ante R$ 32,98 bilhões, em junho. A média diária de operações, em julho, foi de R$ 1,34 bilhão e 57.346 negócios, ante a média de junho de R$ 1,50 bilhão e 61.357 negócios. Do volume financeiro negociado no mês, o pregão viva-voz respondeu por 1,96% e o sistema eletrônico por 98,04%. A fatia de participação do Home Broker - negociação de ações pela Internet - no resultado total da Bovespa foi de 5,44%, no que se refere ao giro financeiro, e de 15,85%, em relação à quantidade de negócios. O valor médio das operações foi de R$ 7.562,09, totalizando R$ 2,82 bilhões em negócios realizados pelas 42 corretoras que atualmente oferecem o serviço. Em julho, o número de investidores que colocaram ofertas no sistema chegou a 30.521, ante os 30.389 do período anterior. Grupos de Investidores Separadas por grupo de investidores, as aplicações realizadas pelos investidores estrangeiros lideraram a movimentação mensal, com 34,7% de participação em julho, contra 31% em junho. O segundo lugar foi ocupado pelos investidores institucionais, com 27% neste mês, contra os 27,2% em junho. Na sequência, e em igual período de comparação, estão as pessoas físicas, com 25,1%, contra 25,2%; as instituições financeiras, com 11,1%, ante 14,3%; as empresas, com 2,0%, contra 2,1% apurados no mês anterior; e o grupo outros, com 0,1% neste mês, contra 0,2% em junho.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.