José Patrício/Estadão
José Patrício/Estadão

Estrangeiros investem US$ 3,97 bi no Brasil em janeiro

Em dezembro, o Investimento Estrangeiro Direto havia somado US$ 6,6 bilhões e no primeiro mês de 2014, US$ 5,1 bilhões

Célia Froufe, Laís Alegretti, Agência Estado

24 Fevereiro 2015 | 10h35


No mês de janeiro, o Brasil recebeu US$ 3,968 bilhões de Investimento Estrangeiro Direto (IED), de acordo com dados divulgados pelo Banco Central. O resultado ficou acima da mediana de US$ 3,450 bilhões, com o piso de US$ 3 bilhões e o teto de US$ 7 bilhões, encontrada na pesquisa da Agência Estado. Em dezembro, o ingresso desses recursos havia somado US$ 6,650 bilhões e no primeiro mês de 2014, US$ 5,115 bilhões. 

A estimativa do BC era de recebimentos de investimentos no total de US$ 3,2 bilhões. De acordo com o chefe do Departamento Econômico da autarquia, Tulio Maciel, até o dia 21 do mês passado, o País já havia recebido US$ 2,1 bilhões por essa conta. No Relatório de Mercado Focus, divulgado ontem pelo BC, a estimativa é a de que, no acumulado deste ano, o saldo de IED chegue a US$ 65 bilhões. 

No acumulado dos últimos 12 meses até janeiro deste ano, o saldo de Investimento Estrangeiro está em US$ 61,349 bilhões, o que representa 2,83% do Produto Interno Bruto (PIB). 

Os investimentos estrangeiros fazem parte da conta capital e financeira do País, que junto com as transações correntes e os erros e omissões resultam no Balanço de Pagamentos (entenda o Balanço de Pagamentos).

Bolsa. O Banco Central informou que o investimento estrangeiro em ações brasileiras ficou positivo em US$ 1,667 bilhão em janeiro. Em igual mês do ano passado, o resultado havia sido bem menor, de US$ 195 milhões. Para o ano completo, o BC projeta que as aplicações nesses papéis somem US$ 13 bilhões.

As aplicações em ações negociados no País somaram US$ 1,678 bilhão, já que as negociadas no exterior (ADRs) registraram um saldo negativo de US$ 12 milhões.

Renda fixa. O saldo de investimento estrangeiro em títulos de renda fixa negociados no País foi bastante forte em janeiro, ao somar US$ 8,225 bilhões. Para se ter uma ideia, em janeiro do ano passado, os investimentos nestes papéis somaram US$ 2,633 bilhões. 

O aumento da procura por esses títulos teve início em junho de 2013, quando o governo zerou o Imposto sobre Operações Financeiras (IOF) sobre esse tipo de aplicação. Apenas em janeiro, o Brasil registrou pouco mais de 40% dos investimentos previstos para todo o ano, já que o resultado foi um pouco maior do que US$ 8 bilhões e a estimativa do BC para 2015 é de US$ 20 bilhões. O investimento em títulos negociados no exterior ficou negativo em US$ 203 milhões em janeiro.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.