seu bolso

E-Investidor: O passo a passo para montar uma reserva de emergência

Estrangeiros remetem menos lucros e investem menos no País

BC diz que ajuste externo reduz necessidade de financiamento porque diminui a remessa de lucros

Fernando Nakagawa e Fabio Graner, da Agência Estado,

20 de fevereiro de 2009 | 10h51

Os investimentos estrangeiros no setor produtivo do País tiveram queda em janeiro - somaram US$ 1,930 bilhão no mês passado, ante US$ 4,826 bilhões em janeiro de 2008 e frente a uma projeção de US$ 2,5 bilhões da autoridade monetária. Ao mesmo tempo, a remessa de lucros e dividendos foi menor no período - somaram US$ 698 milhões, sendo que em janeiro de 2008, foram de US$ 3,025 bilhões e, em dezembro, US$ 3,146 bilhões.   Veja também: As medidas do emprego De olho nos sintomas da crise econômica  Dicionário da crise  Lições de 29 Como o mundo reage à crise   Os investimentos estrangeiros em ações, em janeiro, tiveram saída de US$ 542 milhões, segundo dados do BC. Em janeiro de 2008, o saldo negativo foi de US$ 3,081 bilhões. Em dezembro, os investimentos em ações tiveram saída de US$ 911 milhões. Os investimentos de estrangeiros em ações negociados no País tiveram saída de US$ 529 milhões em janeiro e nas ações brasileiras negociadas no exterior, o saldo negativo foi de US$ 13 milhões.   Despesas com juros, no mês passado, somaram US$ 1,347 bilhão ante US$ 1,271 bilhões em janeiro de 2008 e US$ 946 milhões em dezembro. O fluxo de investimento brasileiro no exterior registrou ingresso líquido de US$ 3 milhões em janeiro, o que indica que houve um retorno nesse montante dos investimentos feitos por empresas brasileiras no exterior.   Os investimentos em títulos de renda fixa tiveram desempenho pior no mês passado, com saída de US$ 1,801 bilhão. Em janeiro do ano passado, a renda fixa acumulou ingresso de US$ 1,312 bilhão e em dezembro de 2008, saídas de US$ 4,464 bilhões. No resultado de janeiro, as saídas dos papéis negociados no País foram de US$ 1,629 bilhões e os papéis negociados no exterior tiveram saldo negativo de US$ 172 milhões.    Balanço de pagamentos   A remessa de lucros de dividendos faz parte da balança de de serviços, que compõe, junto com a balanca comercial, o balanço de pagamentos. Em janeiro, a conta corrente do balanço de pagamentos registrou déficit de US$ 2,753 bilhões, menor do que o déficit de janeiro de 2008, que ficou em US$ 4,028 bilhões.   "O balanço de pagamentos brasileiro tem capacidade de ajuste muito mais forte e é isso que vamos observar ao longo deste ano", disse o chefe do Departamento Econômico do Banco Central, Altamir Lopes. Ele destacou ainda que isso ficou claro no resultado de janeiro. Altamir salientou a forte queda das remessas de lucros e dividendos em janeiro e informou que, em fevereiro até hoje, essa conta acumula saída líquida de US$ 665 milhões.   Altamir afirmou que o déficit em conta corrente em fevereiro deve fechar em US$ 1 bilhão. Ele destacou que as contas externas brasileiras hoje ajustam-se muito mais rapidamente às mudanças na conjuntura internacional e de uma maneira "menos dolorida". Ele explicou que, ao contrário do que ocorria no passado, quando em crises externas o Brasil tinha sérios problemas de financiamento, hoje o ajuste externo reduz a necessidade de financiamento porque diminui, por exemplo, a remessa de lucros e dividendos e as despesas com serviço. Além disso, hoje o País não sofre com a elevação das despesas com juros.   Balança comercial, câmbio e dívida externa   Segundo dados do BC, a balança comercial encerrou janeiro com contribuição negativa de US$ 524 milhões. A conta de serviços e rendas teve déficit de US$ 2,542 bilhões e as transferências unilaterais tiveram resultado positivo (ingresso de recursos) de US$ 312 milhões. No acumulado dos 12 meses encerrados em janeiro, a conta corrente acumula déficit de US$ 27,024 bilhões, o equivalente a 1,75% do PIB.   As intervenções do Banco Central no mercado de câmbio em janeiro somaram US$ 2,5 bilhões em janeiro, de acordo com dados divulgados há pouco pelo BC. As reservas internacionais no conceito caixa, que consideram o impacto das operações de venda com compromisso de recompra e empréstimo em moeda estrangeira, fecharam janeiro em US$ 188,102 bilhões. O saldo de operações de venda com recompra de dólares em janeiro era de US$ 6,776 bilhões. E o saldo de empréstimos em moeda estrangeira era de US$ 5,935 bilhões.   A dívida externa total do Brasil voltou a ficar abaixo de US$ 200 bilhões em janeiro de 2009. De acordo com dados preliminares divulgados há pouco pelo Banco Central, a dívida externa total estava em US$ 199,577 bilhões no fim do mês passado. Em dezembro de 2008, o valor estava em US$ 200,192 bilhões. Conforme os dados do BC, a última vez em que o montante total da dívida somou valor abaixo de US$ 200 bilhões foi em dezembro de 2007, quando o ano terminou com dívida externa estava em US$ 193,219 bilhões.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.