Ernesto Rodrigues/Estadão
Ernesto Rodrigues/Estadão

bolsa

E-Investidor: Itaúsa, Petrobras e Via Varejo são as ações queridinhas do brasileiro

Estratégia de crescimento com responsabilidade fiscal é acertada, diz ministério sobre PIB

Mesmo com queda de 1% no consumo do governo, avaliação da Secretaria de Política Econômica do Ministério da Economia sobre o resultado do PIB no segundo trimestre foi positiva

Adriana Fernandes e Sandra Manfrini, O Estado de S.Paulo

29 de agosto de 2019 | 12h05

BRASÍLIA - Secretaria de Política Econômica (SPE) do Ministério da Economia avaliou que a "estratégia adotada pelo governo, de crescimento com responsabilidade fiscal, vai se mostrando acertada". A avaliação foi feita em nota divulgada para comentar o resultado do Produto Interno Bruto (PIB) brasileiro no segundo trimestre de 2019, que teve alta de 0,40% na comparação com o trimestre anterior, como informou o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), nesta quinta-feira, 29.

"Apesar do forte ajuste nas contas públicas, representada por uma queda de 1% no consumo do governo, o crescimento no trimestre foi positivo e acima das projeções de mercado", avalia a secretaria, que é órgão responsável pela análise das contas nacionais e das projeções de crescimento do PIB que embasam o orçamento e as políticas de governo.

Segundo a SPE, o cenário ainda é desafiador. "O ajuste fiscal em curso, a baixa produtividade da economia brasileira e a incerteza da conjuntura internacional sugerem ainda um longo caminho a percorrer", diz a nota. Apesar desses desafios, a avaliação é que a conjuntura brasileira atual é mais favorável do que era há alguns meses.

A nota divulgada pela secretaria destaca que o resultado de queda "expressiva" de 1% do consumo do governo, no segundo trimestre, "reflete a adoção do regime fiscal de contenção de gastos necessária para conter o crescimento da dívida pública resultante da expansão de gastos de anos anteriores".

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.