Estudante acompanha desafios de uma grande companhia

Perspectivas de emprego e afinidade com a área de exatas atraíram jovem para o setor

O Estado de S.Paulo

25 de março de 2012 | 03h10

Motivada pelas perspectivas de emprego geradas com o pré-sal, a estudante Beatriz Moutinho Lopes, de 20 anos, optou pelo curso de petróleo e gás. "Além disso, sempre tive afinidade com a área de exatas", conta.

Adriana é estagiária no projeto Diálogo para a Sustentabilidade do Litoral Norte, criado a partir da preocupação de ambientalistas com a instalação do Campo de Mexilhão, o maior projeto de produção de gás natural da Bacia de Santos. O projeto desenvolve um conjunto de estratégias para gestão e atividades de ensino e pesquisa.

"No trabalho, acompanho os desafios encontrados pela indústria de petróleo e gás na execução de suas atividades, além de constatar as ações práticas desenvolvidas tendo por objetivo a proteção ambiental", diz ela.

Adriana afirma que vivencia o desafio de relacionar o que aprende nas aulas com a realidade de uma grande empresa do setor energético.

A estudante pretende aprofundar seus conhecimentos cursando as disciplinas de engenharia de petróleo para, assim, aumentar ainda mais o leque de oportunidades de trabalho.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.