Mídia Ninja/Facebook
Mídia Ninja/Facebook

Estudantes contrários à PEC do Teto ocupam escritório da Presidência em São Paulo

Liderada por UNE e outros movimentos, manifestação reuniu cerca de 100 estudantes, segundo organização; Planalto classificou assunto como 'de polícia'

Carla Araújo, Tânia Monteiro, Francisco Carlos de Assis, O Estado de S.Paulo

10 de outubro de 2016 | 18h34

BRASÍLIA e SÃO PAULO - Um grupo de estudantes liderado pela União Nacional dos Estudantes (UNE) e outros movimentos estudantis invadiu o escritório da Presidência da República em São Paulo, na Avenida Paulista, em protesto contra a votação da PEC 241, que cria um teto para as contas públicas. De acordo com interlocutores do governo, o Planalto considerou o ato um assunto “de polícia”. 

A ocupação do prédio foi organizada pela União Nacional dos Estudantes (UNE), a União Brasileira dos Estudantes Secundaristas (UBES), a União Estadual dos Estudantes (UEE-SP), a União Paulista dos Estudantes Secundaristas (UPES) e outros movimentos sociais. Os estudantes que alegaram que a PEC que “congela os gastos públicos” “vai afetar áreas sensíveis como a educação, a segurança e a saúde”.

De acordo com nota divulgada pela UNE, o objetivo era permanecer no interior do prédio durante toda a votação da PEC, que foi aprovada na Câmara pela maioria dos deputados. Outras demandas dos manifestantes foram o fim do projeto Escola Sem Partido e da MP da reforma do Ensino Médio.

Segundo a assessoria de imprensa da Secretaria de Segurança Pública do Estado de São Paulo, o ato começou com cerca de 300 manifestantes, que estavam concentrados no vão livre do Museu de Arte de São Paulo (Masp) e tomaram a Avenida Paulista por volta das 17h. Quinze minutos depois, um grupo de cerca de 100 pessoas se dirigiu para o prédio do Banco do Brasil com o propósito de entregar um manifesto escrito em protesto contra a votação da PEC na Câmara.

Por volta das 23h, os estudantes começaram a desocupar o prédio.

Confira o vídeo postado na página da UNE no Facebook

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.