Estudioso vê risco de desaceleração e de inflação no País

O professor Thomas Trebat, diretor executivo de Estudos Latino-Americanos e do Centro de Estudos Brasileiros da Universidade de Columbia, diz ver atualmente riscos no Brasil tanto do lado do crescimento da economia como de inflação. "Acho que o risco de desaceleração e o de inflação estão andando lado a lado. Não consigo separá-los", disse ao Estado.

O Estado de S.Paulo

20 de outubro de 2011 | 03h06

Para o professor, diante de um cenário externo de muita incerteza e sinais de inflação mais salgada no Brasil, o Comitê de Política Monetária (Copom) deveria ter mantido a Selic em 12%.

"Acho que o BC não deveria se sentir forçado a ser consistente com novo ciclo de cortes de juros. Há muita incerteza sobre o mundo e também sobre o Brasil, devido ao novo patamar inflação no País." / LUCIANA ANTONELLO XAVIER

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.