Estudo da Aracruz aponta viabilidade de 3a fábrica

A maior fabricante de celulose deeucalipto do mundo, Aracruz, concluiu estudos que apontaram aviabilidade da instalação de seu terceiro complexo fabril nopaís. O projeto faz parte do plano da companhia de conquistar 25por cento da demanda global por celulose de fibra curta até2015, o equivalente a 7 milhões de toneladas anuais. Apesar de ressaltar que o sinal verde para a construção daunidade na região de Governador Valadares (MG) ainda depende dedecisão do conselho de administração, que deve ser tomada aindaeste ano, a Aracruz já assinou comunicado conjunto com ogoverno mineiro sobre a instalação do complexo. O projeto poderá ter três fábricas com capacidade paraproduzir até 1,4 milhão de toneladas de celulose por ano cada.O plano de instalação da primeira prevê investimentos de cercade 2,4 bilhões de dólares, incluindo compra de terras, formaçãode florestas e investimento industrial. As obras da fábrica deverão ser iniciadas em 2013, comentrada em operação prevista para 2015. No início deste mês, o vice-presidente financeiro, IsacZagury, havia dito que a instalação do complexo em Minas Geraisse daria por conta da proximidade com o porto da Aracruz noEspírito Santo. Os investimentos florestais no novo projeto deverão somar600 milhões de dólares até 2010, para a constituição de umabase florestal própria de 120 mil hectares de eucalipto e 70mil hectares de reservas nativas. Outros 40 mil hectares deplantio de eucalipto deverão ser firmados em parceria com cercade 1.600 fazendeiros. Às 12h20, as ações da Aracruz subiam 0,45 por cento,cotadas a 11,20 reais. No mesmo horário, o Ibovespa exibiavalorização de 1,7 por cento. Nos cinco primeiros meses do ano, a demanda por celulose deeucalipto subiu 22 por cento em relação ao mesmo período de2007, puxada por uma expansão de 66 por cento ocorrida naChina. Além da unidade a ser instalada em Governador Valadares, aAracruz mantém centros de produção em Guaíba (RS) e em Barra doRiacho (ES). A companhia ainda mantém joint-venture com a norueguesaStora Enso na produtora de celulose de menor custo do mundo, aVeracel, instalada na Bahia, que deve receber uma segunda linhade produção com capacidade para 1,4 milhão de toneladas anuaisaté 2012. (Reportagem de Alberto Alerigi Jr.)

REUTERS

14 de julho de 2008 | 12h28

Mais conteúdo sobre:
PAPELARACRUZMINAS

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.