Divulgação/Unica
Divulgação/Unica

Etanol brasileiro chega ao mercado americano em 2012

Desde 2007, Unica tenta liberar a entrada do produto nos EUA. Subsídios às distribuidoras custam ao contribuinte americano cerca de US$6 bilhões por ano

Agência Estado,

23 de dezembro de 2011 | 14h37

O mercado norte-americano será aberto ao etanol brasileiro a partir de 2012. A informação foi divulgada pela União da Indústria da Cana-de-açúcar (Unica) nessa sexta-feira, 23. "A legislação americana vigente, que inclui altos subsídios para a indústria do etanol e uma pesada tarifa contra o produto importado, expira no dia 31 de dezembro. Mas, com o fim das atividades no Congresso americano para 2011 nesta sexta-feira, não haverá mais oportunidade para qualquer medida que impeça a abertura para o etanol brasileiro, a partir do primeiro dia de 2012, do maior mercado consumidor de combustíveis do mundo", diz a entidade na nota.

Segundo a Unica, apesar das articulações para estender os subsídios e a tarifa nas últimas semanas, prevaleceu no Legislativo americano "a coalizão formada por inúmeras empresas e entidades contrárias a esses incentivos, da qual participa a Unica".

Nos últimos meses, a coalizão intensificou seu trabalho contra os subsídios pagos às distribuidoras que fazem a mistura de etanol à gasolina - "subsídios que custam ao contribuinte americano cerca de US$6 bilhões por ano".

"O trabalho também foi intenso contra a manutenção da tarifa de US$ 0,54 imposta por Washington sobre cada galão importado. A tarifa impedia que o etanol brasileiro chegasse ao mercado americano com preços competitivos", diz a Unica.

Desde 2007, a entidade tinha um escritório em Washington para trabalhar pela eliminação das barreiras ao etanol brasileiro. "A nova realidade, de acesso desobstruído aos EUA para o etanol brasileiro a partir de janeiro de 2012, exige um novo tipo de acompanhamento, com foco em posições maduras e voltadas para o futuro por parte dos dois países", reforça a nota.

MP tenta conter alta do etanol no Brasil

A presidente Dilma Rousseff assinou nesta sexta-feira Medida Provisória para estimular a estocagem de etanol no País e evitar a oscilação de preços que pune os consumidores na entressafra da cana. O texto, a ser publicado no Diário Oficial da União de segunda-feira, prevê financiamento federal, a juros menores que os de mercado, para que os produtores possam formar estoques reguladores.

Texto atualizado às 20h20

Tudo o que sabemos sobre:
etanolcombustívelEstados Unidos

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.