Etanol volta a perder competitividade em todo o País

Os preços do etanol nos postos de combustíveis voltaram a perder competitividade em relação à gasolina no Estado de Goiás, de acordo com dados da Agência Nacional de Petróleo Gás Natural e Biocombustíveis (ANP) referentes à semana terminada em 13 de janeiro de 2012, compilados pelo AE-Taxas. Agora, em Goiás, é indiferente o uso de etanol ou de gasolina no tanque. Nos demais 25 Estados e no Distrito Federal, a gasolina segue mais competitiva.

EDUARDO MAGOSSI, Agencia Estado

13 de janeiro de 2012 | 18h03

O preço médio da gasolina no Estado de São Paulo está em R$ 2,663 por litro, o que torna o etanol hidratado competitivo na região até R$ 1,8641. Na média da ANP, o preço do etanol em São Paulo ficou em R$ 1,91 por litro, 2,46% acima do ponto de equilíbrio entre gasolina e etanol, o que torna a gasolina mais competitiva. Na semana, os preços do etanol caíram 0,42% nos postos no Estado de São Paulo, acumulando uma queda de 0,93% no período de um mês.

A vantagem do etanol é calculada considerando que o poder calorífico do motor a álcool é de 70% do poder nos motores à gasolina. No cálculo, são utilizados valores médios coletados em postos em todos os Estados e no Distrito Federal. Quando a relação aponta um valor entre 70,00% e 70,50%, é considerada indiferente a utilização de etanol ou de gasolina no tanque de combustível.

Segundo o levantamento, em São Paulo, o preço do etanol está em 71,72% do preço da gasolina (até 70% o etanol é competitivo). Em Goiás, a relação é de 70,02% e em Mato Grosso de 75,31%. Em Tocantins, a relação é de 73%. A gasolina está mais vantajosa principalmente em Roraima(preço do etanol é 89,68% do valor da gasolina) e em Santa Catarina (+88,28%).

Tudo o que sabemos sobre:
etanolcompetitividade

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.