Imagem Fábio Gallo
Colunista
Fábio Gallo
Conteúdo Exclusivo para Assinante

ETF ou fundo de índice, como escolher?

ETF não é o mesmo produto financeiro que um fundo de investimentos que investe em ações indexado a uma índice

Fábio Gallo, O Estado de S.Paulo

30 de novembro de 2020 | 05h00

Muitos investidores acreditam que um ETF é o mesmo produto financeiro que um fundo de investimentos que investe em ações indexado a um índice, aqueles fundos que buscam replicar determinado índice de mercado. Ambos são conhecidos como Fundos de Índice, mas não são rigorosamente o mesmo produto. Essa confusão ocorre inicialmente pela tradução ao português do termo Exchange Traded Fund (ETF) como fundo de índice, quando deveria ser mais difundida a expressão Fundo Negociado em Bolsa.

Na verdade, embora compartilhem mais semelhanças do que diferenças, existem algumas considerações que permitem ao investidor fazer uma opção entre esses ativos. O ETF é um tipo de título negociado ao longo do dia como se fosse uma ação ordinária, mas que envolve um grupo de ações que busca replicar um determinado índice, como o Ibovespa. Exemplo é o BOVA 11, denominado na B3 de Ishares Ibovespa Fundo de Índice.

Primeiro as semelhanças: ETFs e Fundos indexados aplicam recursos em grupo de ações de forma diversificada. O custo é mais baixo porque sua gestão é passiva, pois replicam um subconjunto do mercado, isto comparativamente a um fundo de gestão ativa. No longo prazo, tendem a apresentar retornos positivos.

Vamos agora às diferenças: os ETFs podem ser negociados ao longo do dia, ao preço corrente de mercado, enquanto os fundos de índice podem ser comprados e vendidos apenas pelo preço definido no final do dia de negociação. 

Os ETFs têm um investimento inicial menor que os fundos de índices indexados, embora possamos encontrar no mercado valores iniciais bastantes acessíveis para esses últimos. 

Na questão tributária, ambos têm incidência da alíquota de 15% para qualquer prazo de aplicação, sem a isenção prevista para a negociação de ações até R$20 mil. No entanto, o imposto sobre ganho de capital na venda de cota do ETF é pago somente pelo vendedor; no fundo indexado, pelos cotistas.

As taxas de administração variam bastante, mas os ETFs usualmente têm custos mais baixos. Os ETFs permitem acompanhamento diário em tempo real, assim o investidor pode manter monitoramento constante, ao passo que os fundos indexados apresentam os resultados mensalmente.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.